Diversidade

Maisa reclama de críticas sobre transição capilar

por: Karol Gomes

Lembra de quando a Maisa Silva ainda era aquela criancinha sapeca apresentando o Bom Dia & Cia? Ela tinha cachinhos lindos! Agora, aos 15 anos, a apresentadora está tentando recuperar os fios naturais por meio da transição capilar e usou o Twitter para mostrar imagens do seu cabelo em meio ao processo. 

O mix de texturas que ela mostra nas fotos – onduladas, cacheadas e lisas – é normal para quem passa pela transição capilar. E a coragem da moça de mostrar a realidade do processo garantiu mais de 125 mil “likes” na rede social.

– Maisa cita racismo sofrido com pai: ‘Eles vão pela cor de pele’

No entanto, nem todo mundo apóia essa mudança. Pouco depois de postar a foto, ela disparou outros tuítes sobre os comentários maldosos que recebe na web.

“Quando eu posto foto do meu cabelo natural as pessoas falam que eu tô descabelada”, escreveu ela. “Já é chato o suficiente passar pela transição, aí vem uns comentários desses que sinceramente”.

Estes comentários são típicos de quem ainda não saiu da caixinha dos padrões de beleza e acha que cabelo bonito = cabelo liso e sem volume. Ideia ultrapassada, né? 

– Maísa beija namorado em público e infringe lei de Dubai

Ainda bem que isso está mudando! Em 2017, as buscas no Google por cabelos cacheados superaram, pela primeira vez no Brasil, a procura por cabelos lisos. Os dados foram divulgados pelo Google BrandLab, de São Paulo, que ainda revelou um crescimento de 232% na busca por cabelos cacheados no último ano. Na mesma tendência, o interesse por cabelos afro subiu 309% nos últimos dois anos.

Força na transição, Maísa, pois você não está sozinha! 

Publicidade

Fotos: Reprodução


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.


X
Próxima notícia Hypeness:
‘Pretos que voam’: comissária quer bolsas para enegrecer aviação civil