Sustentabilidade

O problema do banimento de descartáveis na China é: o que vai substituir o plástico?

por: Mari Dutra

O governo da China anunciou o banimento de produtos plásticos descartáveis no país. Entretanto, um olhar mais atento às políticas ambientais chinesas sugere que isso está longe de ser a solução para a poluição.

De acordo com a nova lei, as mudanças serão progressivas e devem iniciar com a eliminação de caixas de isopor, cotonetes de plástico e produtos com microplásticos até o final de 2020. Nesse período, os canudos descartáveis também devem deixar de ser consumidos e as principais cidades chinesas terão que abandonar sacolas plásticas e pratos e talheres de uso único.

Essa proibição será estendida a mais áreas até 2022. Progressivamente, serviços de delivery em todo o país terão que parar de usar embalagens plásticas. O ano limite para que estes descartáveis sejam banidos do território chinês é 2025.

Apesar de ambicioso, o plano pode não representar mudanças significativas rumo a um futuro mais verde. Isso acontece porque a lei se refere a produtos não biodegradáveis e sugere que eles devam ser substituídos por seus similares biodegradáveis ou compostáveis.

Parece uma boa ideia, mas há um porém: este tipo de plástico só se decompõe em plantas de compostagem industriais. E, até o momento, a China ainda não anunciou um esforço no sentido de aumentar sua estrutura de compostagem urbana.

Caso não haja investimento neste tipo de serviço, a poluição só mudará de nome: do plástico convencional para o compostável.

Como resolver o problema da poluição plástica

Uma alternativa seria o uso de soluções retornáveis ao invés de produtos descartáveis (sejam eles biodegradáveis, compostáveis ou convencionais). Além disso, investir em um sistema eficiente de compostagem urbana e melhoria da reciclagem são algumas das ações necessárias para diminuir a enorme quantidade de lixo que existe hoje no país.

A reciclagem ainda é um grande problema na China: 95% de todo o lixo gerado no setor de e-commerce não é reciclado e somente um quinto de todo o plástico usado no país chega à reciclagem.

Acreditamos que a lei transmite uma mensagem confusa ao público – de que o plástico biodegradável pode resolver o problema e você pode continuar usando plástico descartável e jogando fora“, disse o ativista Yuan Chang, do Greenpeace East Asia, ao Fast Company sobre o assunto.

Publicidade

Foto em destaque: Brian Yurasits


Mari Dutra
Especialista em conteúdos digitais, Mariana vive na Espanha, de onde destila textos sobre turismo, sustentabilidade e outros mistérios da vida. Além de contribuir para o Hypeness desde 2014, também compartilha roteiros e reflexões mundo afora no blog e no Instagram do Quase Nômade.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mulheres na Conservação: web série conta trajetória de profissionais que lutam pelo meio ambiente