Inovação

Porto Alegre cria projeto de tarifa zero no ônibus para trabalhador

por: Yuri Ferreira

Desde junho de 2013, a ideia de que é possível fazer um transporte público gratuito e de qualidade se espalhou pelo país. Entretanto, as oligarquias do transporte e a falta de coragem de muitos governantes do nosso país não permitiram a execução da ideia.

A Prefeitura de Porto Alegre, pelo contrário, vai nadar contra a corrente. Com um projeto baseado em aumento de impostos e arrocho fiscal, a administração da capital gaúcha pretende instalar um modelo de passe livre para trabalhadores e reduzir em mais da metade o custo das passagens em seus ônibus no ano de 2020.

A iniciativa pode limpar a barra da cidade gaúcha, que com R$ 4,70, é capital com a tarifa de transporte mais alta do Brasil.

– Alemanha planeja transporte público gratuito para combater poluição

Os ônibus porto-alegrenses irão isentar trabalhadores do pagamento de passagens

Como o projeto de tarifa zero vai funcionar

O projeto do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, conta com diversos aumentos de tarifa, a implantação de um pedágio para quem vem de fora da cidade e uma taxa para as empresas que substituirá o vale-transporte. Dessa maneira, o valor das passagens para trabalhadores será reduzido para ZERO. Passageiros normais pagarão dois reais e estudantes, apenas 1 real.

Para isso, a administração criará uma taxa de 28 centavos por quilômetro em corridas nos aplicativos como Uber, 99 e Cabify.  Além disso, extinguirá a taxa de manutenção da Empresa Pública de Transportes Públicos. Adicionado a esses dois fatores, a prefeitura pretende reduzir de maneira drástica o número de cobradores e criar a Taxa de Mobilidade Urbana, em que todas as empresas pagariam diretamente aos cofres municipais o valor do vale-transporte por cada funcionário registrado na empresa. Para fechar a conta, um pedágio para entrar na cidade de ônibus será cobrado no transporte privado.

A cidade de Porto Alegre

– Conheça o primeiro país do mundo a oferecer transporte público gratuito para todos

“Se essas pessoas passarem a vir no transporte coletivo metropolitano, nós vamos ter uma melhoria no trânsito e, assim, também temos uma redução nos custos de viagem, porque os nossos ônibus vão ficar menos presos em congestionamentos, reduz o número de veículos e a gente tem uma melhoria na prestação de serviços”, contou Rodrigo ao G1.

Medidas fiscais similares foram tomadas na cidade de Vargem Grande Paulista, primeira cidade da região metropolitana de São Paulo a integrar o passe livre universal em suas linhas de ônibus. A ideia se provou fiscalmente responsável no pequeno município paulista, e agora vai à prova caso tenha voto favorável na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre.

“Há tempos temos sinais de que é preciso de alguma mudança no modelo de transporte público que a gente tem, em que o cidadão mais vulnerável economicamente é o único responsável pelo custo do transporte”, afirmou Rodrigo Tortoriello, Secretário de Transportes, à Folha de São Paulo.

Publicidade

Fotos: Wikimedia Commons


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Coronavírus: lavar mãos em estações automáticas é ‘novo normal’ em meio à pandemia