Sustentabilidade

Torre mexicana é capaz de purificar o ar com eficácia similar a de 360 árvores

por: Vitor Paiva

Visto que foi a ação humana que devastou o meio-ambiente nos últimos 100 anos, é justo que também seja a ação humana que vá nos salvar – e o jovem mexicano Carlos Monroy Sampieri está fazendo sua parte. Biólogo da Universidade de Santa Cruz e criador da empresa BiomiTech, Monroy criou um sistema com microalgas em um torre capaz de fazer sozinha o trabalho de filtragem que fariam 360 árvores. Em formato similar a o de uma árvore high-tech, a partir das microalgas a torre funciona como uma espécie de super-árvore filtrando o ar.

Intitulado Biourban, o sistema trabalha com biofiltração de poluentes no ar a partir das microalgas, além de possuir sensores de monitoração da qualidade de ar, funcionando inteiramente através de energia solar. De acordo com Monroy, a torre ainda é capaz de gerar biomassa que poderá ser reaproveitada em compostos químicos ou mesmo combustível.

O biólogo mexicano Carlos Monroy Sampieri

Pelo projeto, o biólogo mexicano recebeu o prêmio de inovação Heineken Green Challenge.

Monroy, à direita, explicando seu sistema de filtragem

“Os filtros contém algas, organismos fotossintéticos muito comuns e populosos em nosso planeta”, disse Monroy. “A tecnologia é delas, e já existe há muito tempo. Estamos apenas replicando em maior escala para o bem comum. Não desejamos alterar a pegada ambiental”, afirmou. A ideia é comercializar a torre Biourban em quatro diferentes modelos – para uso doméstico, em pequenas empresas, em complexos industriais e um quarto modelo, para locais públicos.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Como a produção de dendê está destruindo uma das maiores florestas da Ásia