Criatividade

117 novos emojis inclusivos que estarão disponíveis no segundo semestre de 2020

por: Vitor Paiva

Você sabia que existe uma biblioteca virtual de emojis? Site de referência para o significado, o uso mais comum de cada emoji disponível em nossos smartphones, além de publicar artigos e disponibilizar ferramentas para todo tipo de uso dos emojis, a Emojipedia recentemente liberou a imagem dos 117 novos símbolos gráficos que serão disponibilizados para uso em mensagens e publicações. O lançamento trará novos animais, comidas, tradições de países diversos e mais ítens inclusivos – como um emoji de pessoas se abraçando, de pais amamentando bebês e a bandeira trans.

Os 117 novos emojis chegarão às plataformas e estarão disponíveis somente no segundo semestre de 2020, e são parte de um esforço para oferecer um conjunto mais amplo e com mais opções representativas, que se somam aos 138 novos emojis neutros oferecidos no final do ano passado. Além dos já citados, fazem parte da lista os emojis de homens vestidos de noiva e mulheres vestidas de smoking, e os simpáticos emojis de mamute, gato preto, mosca, patins e até fondue com a bandeira da suíça.

Além dos emojis inclusivos, o mais celebrado – e que provavelmente será um dos mais utilizados – é o da “mão italiana”, emoji significando aquele típico gesto que aperta todos os dedos e balança as mãos para demonstrar descrença com algo. Como de costume, os detalhes gráficos  de cada emoji se alteram de acordo com cada plataforma – as imagens aqui citadas são originais da própria Emojipedia para emular a provável aparência para iOS e Android.

 

Publicidade

© fotos: divulgação/Emojipedia


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Adam Sandler e Drew Barrymore recriam ‘Como se Fosse a Primeira Vez’ de pandemia