Debate

Atlético-MG se manifesta após machismo de mascote em apresentação de jogadora

por: Yuri Ferreira


No último domingo, o Atlético Mineiro realizou a apresentação da sua nova equipe de futebol feminino e do jogador Diego Tardelli. Mas uma coisa atrapalhou o espetáculo no Mineirão: o mascote do Galo fez gestos machistas ao interagir com a atleta Vitória Calhau, gerando um desconforto enorme.

O mascote é visto fazendo a atleta ‘dar uma rodadinha’ e depois esfregando as mãos, fazendo uma insinuação de cunho sexual para a jogadora. Infelizmente, essa é mais uma barreira do machismo que o futebol feminino tem que enfrentar.

– Ação contra o machismo no futebol tem apenas mulheres em coletiva. Homens assistem na TV

O mascote do Galo abusou do machismo

Machismo constante 

O futebol feminino tem quebrado tabu atrás de tabu, especialmente após a ‘Copa do Mundo’ da modalidade que aconteceu no ano passado e foi um sucesso. O ‘Brasileirão’ de 2019 também bateu recordes de audiência e os clubes estão mais participativos e investido em infraestrutura, promovendo uma evolução técnica para os gramados. Mas o machismo ainda está longe de ser superado.

Vitória Calhau é uma zagueira do time feminino profissional do Galo

– Salários do futebol feminino são comparáveis aos da Série C masculina

 

O jornalista André Rizek, do Sportv, fez comentários críticos à bizarra atitude cometida pelo representante da torcida do Atlético:

“O mascote adotou algo que é tudo o que uma jogadora não quer. É o “dar uma voltinha”, o “vem cá”. Sério, que cena, que vergonha alheia. Que vergonha. Tudo o que uma mulher não quer hoje tem nessa cena. A mulher quer ser reconhecida por ser uma boa jogadora e não por ser bonita ou ter uma curva assim ou assado. O Galo já tinha colocado as jogadoras como gandulas, o que foi infeliz. Foi uma péssima decisão. Falta de noção total”, afirmou no programa Troca de Passes, da TV Globo.


O ato lamentável foi tão desprezível que até a torcida rival, do Cruzeiro, repreendeu a atitude do mascote:

View this post on Instagram

Mais uma atitude lamentável! Como visto de forma bem clara em vídeo, a jogadora do Atlético, Vitória Calhau foi assediada pelo mascote da equipe na apresentação das atletas que ocorreu no Domingo. O clube comunicou em suas redes sociais o afastamento do funcionário. . Deixamos aqui nosso repúdio a essa atitude e nosso apoio a atleta pelo ocorrido. Ressaltamos também, que independente da sua função, as mulheres devem ser respeitadas no exercício de suas respectivas profissões e não sexualizadas como foi. Merecem ser valorizadas pelo trabalho que fazem em todas as profissões e áreas da sociedade, e nesse caso específico, pelo esforço diário nos treinamentos e nos jogos procurando sempre fazer seu melhor, e o fazem. Combater o assédio é um dever de todos, seja por parte dos clubes, torcedores, atletas e demais! . Importante destacar também que, além do assédio, IMPORTUNAÇÃO SEXUAL É CRIME previsto na Lei 13.718/18, caracterizando-se pela pela realização de ato libidinoso na presença de alguém de forma não consensual, com o objetivo de “satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”. . Em respeito a atleta, decidimos não postar o vídeo e utilizar a seguinte imagem, no intuito de que, como jogadoras exercendo a sua profissão, Vitória e todas as demais merecem respeito. . O manifesto #deixaelatrabalhar se refere a iniciativa promovida por 52 jornalistas contra o assédio moral e sexual sofrido por elas no trabalho e nos demais ambientes que ocupam. . #deixaelajogar #futebolfeminino #respeito #diganãoaoassédio #cec_feminino #futebolmineiro🔺

A post shared by Futebol Feminino do Cruzeiro (@cec_feminino) on


A diretoria do Atlético Mineiro se desculpou pelo incidente. Esse já é o segundo erro de postura com o time feminino da diretoria do Atlético nesse ano. No mês passado, as atletas do time profissional foram convocadas para serem gândulas da equipe masculina, medida que também foi duramente criticada. O clube afirmou que afastou o funcionário do clube responsável pelo assédio:

Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Luisa Mell, com coronavírus, fala de distância do filho e vida com a doença: ‘Estou muito magra’