Ciência

Cheiro de rosas melhora em 30% a aprendizagem durante o sono

por: Gabriela Glette

Pode até paracer um filme de ficção científica, mas a ciência garante que é verdade: o ser humano é capaz de aprender enquanto dorme. No entanto, este tipo de aprendizado não é tão simples assim e exige algumas técnicas. Porém, pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Freiburg Medical – na Alemanha, afirmaram que podemos facilitar o processo através do odor de rosas.

odor de rosas aprendizado 5

Depois de um inédito e extenso estudo de sono em laboratório, eles descobriram que o odor controlado têm um efeito muito favorável em nossas ligações cerebrais, e consequentemente, no sucesso da aprendizagem.  Publicada na revista Scientific Access do Nature Group, a pesquisa pode nos dar pistas sobre o funcionamento cerebral durante o sono e sobre a arte até então pouco conhecida de se aprender enquanto dorme. “Mostramos que o efeito das fragrâncias funciona de maneira muito confiável na vida cotidiana e que pode ser usado de maneira direcionada”, completou o líder do estudo – Jürgen Kornmeier.

odor de rosas aprendizado 2

Mais de 50 pessoas foram convidadas a utilizar um incenso com perfume de rosa em suas mesas enquanto aprendiam um vocabulário selecionado em inglês. Em outro experimento, eles também colocaram os incensos no ambiente ao lado deles durante um teste de vocabulário na escola. Em seguida, os resultados foram comparados com os testes nos quais nenhum incenso foi usado.

odor de rosas aprendizado 1

O resultado é que os alunos mostraram um aumento de 30% no processo do aprendizado – mesmo durante o sono. Os resultados também sugerem que o uso das fragâncias ajudaram na memória, podendo ser adequadas para uso diário. Isto não significa que você deve dormir com um incenso ao lado da cama, mas que pode utilizar oleos essenciais, por exemplo.

odor de rosas aprendizado 4

O ser humano possui cerca de 10 mil memórias olfativas, que mesmo que não consigamos lembrar, no momento que um aroma ou cheiro acaba ficando armazenado em nosso cérebro para sempre. No entanto, o que este estudo sugere é que, apesar de representar apenas 1% de nosso cérebro, o olfato é muito mais importante do que um dia imaginamos.

Publicidade

Fotos: Unsplash


Gabriela Glette
Uma jornalista que ama poesia e mora na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Estagiário de 17 anos da Nasa descobre novo planeta e faz história