Tecnologia

Como o clima ajudou no voo subsônico mais rápido da história entre NY e Londres

por: Vitor Paiva

Com o Oceano Atlântico separando uma cidade da outra, um voo direto de Nova York para Londres dura algo entre 7 e 8 horas em média. Na madrugada do último dia 08 para o dia 09, porém, um Boeing 747 da British Airways bateu todos os recordes imagináveis para uma aeronave não supersônica, e realizou o voo em 4 horas e 56 minutos, alcançando velocidade máxima de 1,287 km/h. O feito, no entanto, não foi tanto tecnológico, e contou literalmente com um belo empurrão da tempestade Ciara, que se aproximava na noite de sábado do Reino Unido.

Segundo meteorologistas, o avião estava de fato sendo impulsionando pelos ventos de mais de 320 km/h da tempestade. Curiosamente, a força da aeronave também ajudou a tempestade a chegar mais rápida e forte no Reino Unido – assim como  tempestades podem atrasar ou adiantar voos, rotas de aviões também interferem na movimentação de sistemas meteorológicos pelo planeta.

Na mesma noite outros dois voos também fizeram o trajeto em um tempo abaixo de 5 horas, ambos da Virgin Atlantic, um com 4 horas e 57 minutos e outro com 4 horas e 59 minutos de duração. O recorde anterior de um voo subsônico era de 5 horas e 13 minutos por uma companhia norueguesa.

Informações do voo recorde

O feito impressiona, mas ainda fica muito distante dos tempos alcançados, por exemplo, pelo Concorde, avião supersônico comercial que tanto a British quanto a Air France operaram entre 1976 e 2003 – e que era capaz de voar de Nova York para Londres em meras 2 horas e 52 minutos carregando até 120 passageiros.

O Concorde da British

Nem mesmo esse, porém, é de fato o recorde absoluto do percurso: em 1974, um SR-71, avião do tipo blackbird de reconhecimento estratégico da Força Aérea dos EUA, cruzou de uma a outra cidade em menos de duas horas – precisamente em 1 hora e 54 minutos. Já imaginou esse voo comercial?

 

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Salvar senhas no Google Chrome pode trazer riscos ao usuário, adverte reportagem