Inspiração

8M: 2 milhões de mulheres fazem história contra o patriarcado no Chile

por: Yuri Ferreira

Desde o fim do ano passado, o Chile tem vivido um estado de tensão social grave com manifestações ao redor de todo o país pedindo o fim do neoliberalismo, uma nova constituição, a derrubada do presidente Sebastián Piñera e diversas outras pautas. E se alguém achava que as manifestações se acalmariam no ano de 2020, se enganou completamente.

No último domingo (8), Dia Internacional da Mulher, 2 milhões de mulheres se reuniram na Placa Domingos, em Santiago do Chile, para se manifestar contra o governo de Piñera e lutar contra o patriarcado. A enorme marcha simboliza o tamanho da luta das mulheres no país pela transformação da realidade política e social chilena.

– Dia Internacional da Mulher: o movimento do ponto de vista de mulheres negras

A manifestação teve noção de seu impacto. Certamente, uma das maiores mobilizações de mulheres de toda a história da América Latina

O Dia Internacional da Mulher é uma data que se relaciona a luta das trabalhadoras. E no Chile, as manifestações parecem ter ganhado justamente essa conotação: os protestos tinham como intuitos claros denunciar a violência contra a mulher e retirar Piñera e sua equipe econômica do poder.

“Piñera reflete tudo o que queremos combater como mulheres. Homens que não entendem, não querem entender e nunca entenderão a importância de nosso papel na sociedade. Em seu gabinete há cada vez menos mulheres, seus assessores mais próximos todos homens e suas falas misóginas são apenas uma demonstração disso”, afirmou ao jornal argentino Clarín a aposentada Francisca Fernández, de 71 anos.

– Valdivia distribui empanadas na fila do metrô em meio à crise chilena

A Polícia Nacional – os Carabineros – afirmaram que haviam 125 mil pessoas na manifestação. Após técnicos dizerem que, pela extensão da manifestação, haviam pelo menos um milhão de pessoas em somente um trecho do protesto, sem contar os arredores, o braço armado de Piñera afirmou que haviam 300 mil pessoas. Além da capital Santiago, chilenas em cidades na Europa também denunciaram o machismo em seu país. A estimativa da organização do 8M foi de 2 milhões de pessoas na capital e 4 milhões ao redor e todo o país.

Na América Latina toda – de São Paulo à Cidade do México, milhões de mulheres saíram às ruas para lutar contra o machismo e denunciar as violências do patriarcado. O mote chileno criado pelo grupo feminista Las Tesis,  ‘Um estuprador no teu caminho’ foi ouvido em todos os cantos do continente.

‘Un violador en su camino’ sendo reproduzida em Santiago de Chile durante as manifestações do último domingo

Confira imagens aéreas da manifestação:

Publicidade

Fotos: Foto 1: Reprodução Twitter Foto 2: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Richarlison da seleção, ao falar sobre apagão no Amapá, mostra mais consciência do que autoridades