Ciência

Biólogo Atila Iamarino alerta: ‘Potencial de pessoas infectáveis com coronavírus é de 100%’

por: Yuri Ferreira

Algumas autoridades brasileiras e empresários parecem não estarem ligando para as referências internacionais sobre a epidemia do coronavírus. “Gripezinha” e “resfriadinho” são os termos utilizados por alguns para reduzir o impacto da epidemia que tem colapso os sistemas de saúde europeus e lotado necrotérios e cemitérios na Itália.

Mas diversos comunicadores tem trabalhado para incentivar boas práticas para reduzir o impacto do coronavírus no Brasil. Um deles é o biólogo Átila Iamarino. Pós-doutor pela USP e Yale, o especialista em vírus e em epidemias tem sido uma das principais fontes de divulgação científica sobre os riscos da Covid-19 em nosso país.

– O empresário com coronavírus que zombou da doença, alugou jatinho e colocou uma cidade em risco

Átila Iamarino explica a necessidade de se manter as políticas de distanciamento social para que a epidemia seja devidamente controlada no país

Átila e toda a comunidade científica do país tem defendido a tese de supressão da doença: com a redução da movimentação nas ruas, o número de infectados é reduzido e o sistema de saúde tem capacidade de tratar todas as pessoas que terão casos graves da doença.

Ele alerta contra a tese de mitigação que mantém a normalidade mas coloca milhões de pessoas em risco simultaneamente, gerando um soterramento dos leitos e colocaria, em agosto, mais de um milhão de mortos no Brasil segundo o estudo “Impact of non-pharmaceutical interventions (NPIs) to reduce COVID19 mortality and healthcare demand”, projetado na Inglaterra e nos EUA.

“A gente tem o caminho da mitigação e o cenário da supressão. No cenário da mitigação, em que a gente não suprime as pessoas, não mantém elas em casa e deixa mais do que o básico funcionando, pelo menos 1 milhão de mortos até o fim de agosto”, afirmou em uma live.

– Coronavírus: este é o melhor gráfico sobre a evolução da pandemia no mundo

“Não temos empresas parando, trabalho parando e todo mundo que poderia ser dispensado não está em casa. Nenhum país pode parar serviços essenciais, mas a circulação de pessoas precisa parar. “A gripe comum não pode infectar todas as pessoas, porque parte delas já têm alguma imunidade à gripe. O potencial de pessoas infectáveis por coronavírus é 100%, porque ninguém havia pego até hoje”, explicou.

– A bravura e o cansaço de profissionais da saúde após horas de batalha contra Covid-19

Para conhecer melhor o trabalho de Átila, veja uma de suas lives no Youtube:

Publicidade

Fotos: Reprodução/Youtube


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Drauzio Varella diz para esquecermos vida normal: ‘Vai demorar muito tempo pra voltar’