Debate

Caso de blogueira estuprada no Cafe de La Musique volta à tona com thread no Twitter

Yuri Ferreira - 02/03/2020

Em dezembro de 2018, a blogueira Mari Ferrer foi estuprada no Cafe de La Musique, um beach club de alto padrão na cidade Florianópolis, Santa Catarina. O caso, que repercutiu muito na mídia, tem uma série de evidências claras que apontam André de Camargo Aranha como culpado pelo crime. Ele ainda não foi julgado, mas a história escancara o cenário de impunidade quando se fala de violência contra a mulher no Brasil.

Mais de um ano depois do crime, a impunidade ainda é indignante e a blogueira Karol Queiroz resolveu fazer uma thread no Twitter elucidando o caso em inglês, alertando a comunidade internacional sobre o ocorrido, para tentar promover celeridade e justiça à Mari Ferrer.

– Garota de 13 anos pede ajuda a amigo e pai é preso por estupro

Evidências genéticas e imagens mostram André Camargo Aranha como único possível violador, mas ele segue uma vida normal após as acusações

Desde que o caso voltou aos trending topics do Twitter, milhares de pessoas demonstram solidariedade com Mari. Na época, os relatos da jovem sobre o evento foram chocantes. 

“Não é nada fácil ter que vir aqui relatar isso. Minha virgindade foi roubada de mim junto com meus sonhos. Fui dopada e estuprada por um estranho em um beach club dito seguro e bem conceituado da cidade”, afirmou em 2018.

– Motorista de aplicativo é morta por reagir a tentativa de estupro de passageiro

Hoje, ainda impune, ela fala como foi afetada pelo crime e busca justiça contra André de Camargo Aranha, cujo material genético foi encontrado nas roupas da vítima. Com apoio e solidariedade, a luta por justiça e contra a impunidade quando se fala de violência contra a mulher segue.

O que houve 

Na fatídica noite, Mari estava trabalhando como embaixadora uma festa no Cafe de La Musique, que possui mais 13 unidades no Brasil. A mãe de Mariana disse ao Universa que a filha ainda sofre em função das violações. 

“Mariana vive praticamente dentro do quarto. Tem sequelas que são irreversíveis. O estupro é muito isolador. Não bastasse o crime em si, ainda há a injustiça e a insensibilidade das pessoas que não sabem o quão devastador é esse crime”, pontua.

O advogado de André, Cláudio Gastão da Rosa Filho, também em conversa com o Universa, disse que o cliente só vai falar na frente do juiz. Ele citou ainda que o acusado “ainda não foi ouvido” e que “essa situação será esclarecida no interrogatório”.

Leonardo Pereima de Oliveira Pinto, advogado do Cafe de La Musique, afirma que o estabelecimento de luxo trabalhou junto da polícia, mas não procurou Mariana depois do ocorrido ou deu algum tipo de assistência. 

A defesa explica que a ausência se deu pela ‘postura’ da jovem nas redes sociais. “Mariana passou a atacar o Cafe como se tivesse participado daquilo tudo”, declarou Leonardo ao Universa.

Para entender mais sobre o caso de estupro, o Hypeness sugere a leitura da reportagem “Jovem é estuprada no Café de La Musique, beach club luxuoso de Florianópolis”, publicada assim que surgiram as denúncias sobre o crime.

Violência sexual recorde

O Brasil registra mais de 180 casos de estupro por dia. A violência sexual é um problema grave no nosso país e escancara o machismo brasileiro. Mais da metade das vítimas têm até 13 anos e conhecem seus agressores. Por isso, é importante que a justiça seja mais eficiente em combater esse crime que aterroriza a vida das mulheres do nosso país.

Confira a repercussão da thread e os comentários de Karol Queiroz e Mari sobre o crime:

Publicidade

Fotos: Reprodução/Twitter


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.