Inspiração

Coronavírus: famílias vulneráveis não vão precisar pagar conta de água

por: Yuri Ferreira

Medidas drásticas devem ser tomadas para combater o contágio de coronavírus; muito além de questões puras de saúde, decisões no campo econômico para aliviar pessoas de baixa renda devem ser tomadas para evitar um colapso social completo das camadas mais pobres da população. Por isso, países como a França já suspenderam a cobrança de água, luz e gás para todos os cidadãos.

O Brasil ainda está engatinhando para tomar essas medidas com celeridade, mas o Governo do Estado de São Paulo já tem anunciado algumas mudanças importantes. A SABESP, responsável pela distribuição de água e saneamento básico no estado mais populoso do país, anunciou que famílias de baixa renda não irão pagar contas de água a partir do dia 1º de abril.

– Coronavírus e a inabilidade social ameaçam negros e pobres

São Paulo se tornou o centro da epidemia no país; Estado tem tomado medidas para tentar conter contágio e reduzir impacto social da crise

As categorias de uso Residencial Social e Residencial Favela não irão pagar as contas referentes à abril, maio e junho, como uma maneira de reduzir os gastos para a população mais fragilizada pelo revés econômico que será causado pelo coronavírus: redução de renda, empregos e desaceleração dos trabalhadores informais, situação que pode levar as periferias a um colapso social.

A decisão, aprovada pelo conselho da empresa, agora será enviada para a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo. Para justificar o custo da operação, a SABESP informou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que “o impacto sobre a receita deverá ser compensado com redução de despesas e ajustes orçamentários”, tendo em vista que se trata de uma medida drástica para as contas da companhia.

– Do coronavirus a gripe espanhola: as maiores pandemias da humanidade

O Estado de São Paulo tem 22 das 25 mortes causadas pelo coronavírus em todo o país. A situação na capital e no interior é grave e as medidas de distanciamento e assistência social estão sendo tomadas para reduzir os impactos da crise na unidade da federação mais populosa do país.

Na esfera federal,  o Comitê Gestor do Simples Nacional prorrogou prazo de pagamento para aliviar MEI. Os profissionais autônomos e microempreendedores individuais do Brasil deixarão de pagar os tributos com vencimento em abril, maio e junho e só irão pagá-los em outubro. O adiamento também busca reduzir os impactos da crise do coronavírus nos trabalhadores informais, mais afetados pelo revés econômico.

 

Publicidade

Foto: © Getty Images/Victor Moriyama


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Bilionário fundador da Duty Free decide doar toda a sua fortuna em vida