Debate

Deputada propõe vasectomia compulsória após lei que proíbe o aborto nos EUA

por: Vitor Paiva

Aprovado no ano passado pelo Partido Republicano, o Human Life Protection Act é uma lei em vigor no estado do Alabama nos EUA, que tornou o aborto em qualquer estágio da gravidez um crime tão grave que pode condenar envolvidas a até 99 anos de prisão. A fim de ilustrar a gravidade e principalmente a arbitrariedade de tal decisão, uma deputada do estado decidiu mostrar na prática como é a sensação de ter alguém tentando restringir os direitos sobre o próprio corpo e a reprodução, e propôs uma lei que, se aprovada, torna obrigatório que homens depois dos 50 anos ou do terceiro filho passem por uma vasectomia.

Manifestantes vestidas como aias da série Handmaid’s Tale no Alabama, protestando contra a lei

Segundo a atual legislação do Alabama, o aborto só é permitido no caso de ameaças graves à saúde da mãe ou quando é previsto que o feto venha a falecer. Não há, porém, exceções para, por exemplo, casos de estupro e incesto – e foi por isso que a deputada democrata Rolanda Hollis propôs sua legislação simbólica. A ideia é de fato obrigar os homens a, pelo menos por alguns instantes, se colocarem no lugar das mulheres, e sentirem como é ter outras pessoas determinando sobre seu corpo.

A deputada Rolanda Hollis

O Human Life Protection Act foi vetado, no final do ano passado, por um juiz federal, alegando que a lei contraria precedentes da Suprema Corte e a própria constituição dos EUA. A ideia de Rolanda foi uma lei que “neutralizasse” a atual legislação de aborto. “Muita gente viu minha lei como um retrocesso terrível. Ainda assim, ano após anos, a maioria do partido republicano segue introduzindo novas legislações que tentam ditar sobre o corpo feminino e seus direitos reprodutivos”, disse a deputada. “Essas leis também tem que ser vistas como retrocessos terríveis”, disse.

“Mantenha o aborto legal”, diz cartaz de manifestante

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Liberdade ou prisão? A controversa construção do tabagismo feminino