Inspiração

Ela sobreviveu ao massacre de Suzano e agora quer ser professora

por: Vitor Paiva

Aos 18 anos, a jovem Yanne Cezário tenta extrair o melhor da vida, mesmo das situações mais adversas possíveis: como uma das sobreviventes do ataque ocorrido há um ano dentro da escola estadual Raul Brasil, em Suzano, Yanne em seus planos não pretende se afastar do traumático cenário de uma escola. Ao contrário, seus esforços e sonhos miram seu futuro justamente como professora infantil.

A jovem Yanne Cezário

 No momento do atendado, ocorrido em março de 2019 e deixando 10 mortos e 11 feridos, Yanne se encontrava no pátio, e se escondeu em um Centro de Línguas onde aconteciam aulas de espanhol. Na correria a jovem acabou pisoteada, mas foi atendida e liberada, tendo saído da terrível experiência sem maiores ferimentos que os emocionais. Depois do ocorrido a escola entrou em reforma, e foi transferida temporariamente para o prédio de uma faculdade particular – o que facilitou o retorno.

Acima, o antigo edifício da escola; abaixo, o prédio da universidade onde temporariamente a escola funciona atualmente

Em 2020 a jovem, que concluiu o ensino médio em dezembro, está em busca do primeiro emprego, e irá se dedicar aos estudos, para fazer o exame do Enem. Seu sonho segue sendo se tornar professora, para servir de exemplo para futuras crianças da mesma forma que suas professoras do passado a inspiraram a seguir nessa mesma profissão – superando o trauma com dedicação e amor.

 

Publicidade

© fotos: divulgação/arquivo pessoal


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
2020 também teve boas notícias e ele ilustrou algumas delas para nos lembrar disso