Debate

Ele foi perguntado sobre mapa astral em entrevista de emprego: ‘Não contrata ninguém de touro’

por: Yuri Ferreira

Você tem aquele amigo que só fala de signos pra lá e pra cá? Tem muita gente que, logo depois de perguntar seu nome, já pergunta lua, ascendente e vênus. Mas até que ponto a nossa afixação com a astrologia perdeu o limite?

Uma reportagem da BBC Brasil contou a história de Pedro. O jovem designer de 23 anos foi fazer uma entrevista de emprego para uma loja no Rio de Janeiro. O sócio da empresa o entrevistou para a posição de estagiário e logo depois começou a questioná-lo sobre os astros.

– Reclame Aqui quer contratar ‘sua avó’ e abre vaga exclusiva para mulheres acima de 55 anos

Pedro Henrique foi questionado sobre seu mapa astral e foi informado de que pessoas de touro não seriam contratadas na empresa

“Fui entrevistado pelo próprio dono. Ele me fez muitas perguntas profissionais, sobre minha experiência na área e sobre a minha universidade. Mas depois ele começou a fazer perguntas mais pessoais e quis saber qual era o meu signo. Um amigo me contou que uma conhecida dele fez estágio nessa loja e disse que o dono perguntava sobre os signos das pessoas porque ele não contratava ninguém de touro”, relatou à BBC.

A repercussão da matéria no Twitter levantou o debate sobre o peso que uma pseudociência tem tido nas nossas vidas. Desde rejeitar pessoas afetivamente até questões profissionais, a astrologia pode afetar muita gente, mesmo que pareça inofensiva.

– Empresa chinesa causa polêmica por não contratar pessoas dos signos de escorpião e virgem

Na reportagem da empresa britânica, astrólogos não defendem essa posição e acreditam que o signo não pode definir se a pessoa é ou não competente. E muita gente no Twitter ficou revoltada e pasmem, muitos já passaram por situações similares durante a vida profissional.

Confira os tweets sobre o assunto:

– Faxina agendada por R$ 19,90? App traz debate sobre precarização do trabalho

 

 

Publicidade

Fotos: Reprodução/Twitter


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
RJ tem ‘choppecídio’ com bares lotados e deboche. Cidade age como se coronavírus não existisse