Tecnologia

Empresa usa Realidade Virtual para tratar pânicos e fobias

01 • 03 • 2020 às 20:47 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

A realidade virtual tem um potencial de atuação incomensurável, podendo revolucionar mercados variados e até mesmo frentes tão inesperadas quanta a dos tratamentos para fobias, TOCs e experiências traumáticas. A prova desse potencial é o feito realizado pela Oxford VR, empresa britânica que acaba de levantar 13 milhões de euros para serem investidos no uso de realidade virtual em terapias com a tecnologia.

A empresa surgiu dentro do departamento de psiquiatria da Universidade de Oxford, e a quantia reunida em uma rodada de investimentos será possível acelerar a aplicação da realidade virtual como terapia, otimizar seu canal de tratamento e ampliar as atividades no Reino Unido e nos EUA. Inicialmente a experiência começou com pessoas que sofriam de medo de altura, e os testes bem sucedidos seguiram para outros transtornos, como TOC.

A realidade virtual permite confrontar as fobias no ambiente controlado e seguro das simulações.

A plataforma desenvolvida pela empresa oferece tratamentos automatizados, seguindo padrões e protocolos clínicos devidos.

O vídeo abaixo ilustra um dos tratamentos para medo de altura com Dick, um médico aposentado que foi acompanhado durante oito sessões da terapia, em um antes e depois visível e animador – da realidade virtual para a vida real.

Publicidade

© fotos: divulgação