Debate

‘Mulan’ excluiu personagem de remake e produtor cita #MeToo

por: Karol Gomes

Entre os lançamentos de versões live-action de suas animações clássicas, a próxima aposta da Disney é ‘Mulan‘, com previsão de estreia para 26 de março. Esta releitura do clássico de 1998 optou por grandes mudanças em comparação ao roteiro original: como a exclusão do dragão mágico e alívio cômico Mushu, pois é um personagem considerado ofensivo pelos chineses, protagonistas da história. Acabou não envelhecendo bem. 

Outra grande diferença que a nova versão terá com relação a animação é a ausência do general Li Shang na história. De acordo com o produtor do filme, Jason Reed, a alteração ocorreu depois de algumas reflexões propostas pelo movimento #MeToo. Ele acredita que ter um oficial comandante que também é o interesse amoroso e sexual da protagonista seria muito desconfortável e inapropriado. 

– Série fotográfica imagina princesas da Disney como mulheres negras

Baseado no conto chinês ‘Hua Mulan‘, de Guo Maoqian, a animação mostra a protagonista juntando-se ao exército chinês, enquanto finge ser um soldado homem para livrar o seu pai idoso de participar do conflito. Na versão desenho, o general Li Shang cria um vínculo íntimo com Ping (a Mulan-homem) e posteriormente mantém um relacionamento com Mulan quando sua identidade é revelada.

O vínculo de Li Shang com o alter-ego masculino de Mulan também fala bastante para a comunidade LGBTQ+, criando uma representatividade bissexual muito rara em filmes da Disney. Diante disso, a exclusão de Shang da nova versão de Mulan foi um dos maiores questionamentos entre os fãs online, mas os produtores negam qualquer tipo de preconceito na decisão.

– Disney mostra logo do estúdio 20th Century sem o nome ‘Fox’; veja vídeo

Segundo Reed, na versão live action terá Honghu como o envolvimento amoroso de Mulan. Recentemente, o diretor do remake, Niki Caro, foi criticado por dizer que apesar de Mulan ser uma história importante para a cultura chinesa, existe “uma outra cultura em jogo aqui, que é a cultura da Disney”. Na ocasião, Caro tentava justificar o porquê de um diretor chinês não ter sido escolhido para o trabalho.

Confira o trailer de Mulan:

Publicidade

Foto: Repr0dução / Disney


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Desmonte do SUS: decreto anuncia privatização da atenção básica em retrocesso histórico