Futuro

Nova Zelândia: parlamento aprova descriminalização do aborto

por: Vitor Paiva

Se as más notícias parecem reger a atualidade, um sopro de esperança venta diretamente da Nova Zelândia, onde o parlamento aprovou, na última quarta-feira, dia 18, a descriminalização do aborto, revertendo uma lei que antes tinha pesos que beiravam o medieval. Até então, alguém que interrompesse uma gravidez, a partir de uma lei aprovada em 1961, poderia ser presa e pegar até 14 anos de reclusão.

Em verdade a lei jamais foi efetivamente aplicada no país, mas Andrew Little, ministro da justiça do país, entendeu que era importante atualizar a lei com a realidade e a atualidade, retirando do âmbito policial algo que é necessariamente da saúde. “De agora em diante, os abortos serão considerados uma questão médica”, diz Little.

O Ministro da Justiça Andrew Little

“Com a lei anterior, as mulheres que desejavam abortar tinham que superar muitos obstáculos”, afirmou o ministro, lembrando que a partir de agora as mulheres poderão recorrer ao “conselho e tratamento de maneira mais rápida” – e concluiu: “essa semana trouxemos a lei de aborto da Nova Zelândia ao século XXI”.  A descriminalização se deu por 68 votos a favor contra 51 votos contra.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Projeto organiza grupos para incentivar crianças a irem a pé para a escola