Inovação

Remédios à base de maconha devem estar nas farmácias em junho

Vitor Paiva - 08/03/2020 | Atualizada em - 05/03/2021

Desde que, em dezembro do ano passado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) regulamentou a venda e o uso de medicamentos à base de cannabis no Brasil que a expectativa no mercado e entre os pacientes é tão grande quanto são as dúvidas sobre o tema. Especialistas já apontaram para o Hypeness qual será o futuro da legalização do CBD no país, e cada vez mais esse horizonte se aproxima: a regulamentação entra em vigor ainda no mês de março.

Com isso, os primeiros remédios devem chegar às farmácias em junho desse ano. A OnixCann é uma das empresas brasileiras que já definiu sua primeira leva de medicamentos com base na cannabis que irá às prateleiras no meio do ano. Segundo divulgação, os novos remédios serão entre concentrações de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC), com indicações para o tratamento de doenças como autismo, Alzheimer, dores crônicas e redução dos efeitos de quimioterapia.

A expectativa é que as melhorias sejam imediatas para os pacientes novos ou os que já utilizam CBD ou THC importados no Brasil – com considerável redução de burocracia e dos custos para adquirir os medicamentos. Como a nova legislação não permite a criação e divulgação de marcas para os remédios cannabicos, o diferencial será mesmo o preço: por mais que a liberação do plantio, ainda proibida no Brasil,  fosse fazer a maior diferença, espera-se que, com o passar dos tempos e a solidificação da concorrência, os preços caiam ainda mais.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.