Criatividade

Smartfit usa câmera escondida para debater assédio sofrido por mulheres que treinam

por: Yuri Ferreira

As mulheres enfrentam, diariamente, diversos tipos de assédio. E um dos piores espaços para isso é a rua. Em meio de assobios e cantadas, o simples trajeto entre a sua casa e a academia mais próxima pode ser um perigo para uma mulher nas ruas do Brasil.

A Smart Fit, uma das principais academias de todo o Brasil, resolveu fazer uma pesquisa e uma campanha explorando como é a vida das mulheres na academia e como o machismo pode afetá-las diretamente. A campanha #DeixaElaTreinar foi lançada no Dia Internacional da Mulher, mas tem dado o que falar.

– De ‘shorts Anitta’, Bruna Linzmeyer responde motorista que assediou menor de idade

Pesquisa da SmartFit com a OpinionBox revelou que a maioria das mulheres são alvos de comentários machistas no trajeto entre casa/trabalho e academia

Com uma câmera gravando o trajeto das mulheres até a academia é perceptível como os homens mexem com as mulheres que estão com roupas de academia. Comentários ofensivos, assovios e olhares indiscretos são registrados no curto vídeo de um minuto.

“Fiquei satisfeita em poder participar de uma causa da qual faço parte. Além de trabalhar na produção do vídeo, pratico exercícios e sempre me questiono com que roupa devo ir. Na praia, costumo correr de top, mas, em São Paulo, sempre uso uma camisa por baixo”, afirmou a diretora do vídeo Renata Ursaia ao portal B9.

– Ela se inspirou no #MeToo para denunciar assédio no mercado da maconha

Em uma pesquisa feita em parceria com a OpinionBox, descobriu-se que 54% das mulheres que frequentam a academia já sofreram assédio no caminho do treino e 61,3% já deixaram de usar alguma roupa no caminho da academia por medo de comentários machistas. 45,3% das mulheres frequentemente se sentem desconfortáveis no trajeto para atividades físicas devido a comentários indesejados de homens.

“Participar da ação foi apenas comprovar o que costumo passar no meu cotidiano. As pessoas têm que entender que nosso corpo não é um convite. Nós queremos andar livres, independentemente da roupa que estamos usando. É péssimo você andar na rua e se sentir um pedaço de carne”, comentou ao B9 Louise Bussi, produtora de eventos que participou da campanha.

– Escândalo envolvendo o YouTuber James Charles traz assédio sexual no meio gay à tona

Confira o vídeo da campanha:

Publicidade

Fotos: Reprodução/Youtube


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Dia do Hambúrguer: 6 receitas de burgers vegetarianos para saborear além da carne