Debate

Artistas têm que parar com ostentação e mudar postura nas redes durante coronavírus

por: Gabriela Glette


Até o momento, o novo coronavírus já infectou mais de 1 milhão de pessoas em 190 países e matou mais de 65 mil. Se não existe nada mais importante do que vidas, este não será o único saldo com o fim da pandemia, que não sabemos quando irá acontecer. O mundo está passando por uma intensa transformação, quer você acredite ou não em transição planetária. Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram o resultado de ter mais de um terço do mundo em quarentena: cidades menos poluídas, animais voltando a caminhar sem medo, pessoas encontrando novas formas de trabalho e comunidades inteiras ressignificando o sentido do coletivo. Especialistas garantem que, o mundo pós coronavírus será um mundo em grave crise econômica, alguns chegam a comparar com a recessão de 1929. Por enquanto são ‘apenas’ especulações, mas uma das poucas certezas que temos é que, o mundo de hoje não suporta mais a ostentação e a classe artística precisa compreender isto.

mundo com coronavírus

O mundo pós coronavírus seré um mundo onde as diferenças sociais ficarão ainda mais acentuadas

A incerteza em relação ao futuro, o medo da perda e a noção da fragilidade da vida estão sendo o combustível necessário para que juntos possamos construir um mundo melhor. Uma sociedade onde a qualidade valha muito mais do que a quantidade e que momentos compartilhados com quem se ama sejam incomparáveis com um carro novo na garagem. Aliás, um mundo melhor é um mundo com menos carros e mais passeios a pé.

Cole Shneider

Cole Shneider: a nova-iorquina que adora exibir dinheiro em forma de leque ou jogado pelo chão

Em coluna publicada na última semana, o jornalista Leo Dias – do UOL, popular pelo seu conhecimento em relação à vida dos famosos, fez uma reflexão interessante e necessária. “A hora é de pensar no outro, pensar no próximo, usar os milhões de seguidores para fazer o bem. Quem não mudar a forma de agir com as redes será devidamente excluído ou “cancelado”.
https://www.instagram.com/eduardocosta/?utm_source=ig_embed&utm_campaign=loading

Isto significa que, a partir de agora, os influenciadores digitais precisarão usar seu crédito e presença nas redes sociais para mudar de postura e mostrar às hordas de seguidores que, o legal hoje é ser simples, é pensar no outro, é viver de forma mais sustentável e, sobretudo, parar de ostentar.

Neymar jatinho particular

O brasileiro Neymar costuma ostentar carros e viagens com seus ‘parças’

No mundo pós coronavírus não caberá mais ter um closet de milhões de reais, enquanto dezenas de brasileiros morrem de fome todos os dias. Também será inaceitável ter um relógio do preço de um apartamento, só andar de jatinho particular e viver agarrado na noção primitiva de que o mundo é uma bolha. Para o jornalista, um exemplo de artista é Ivete Sangalo – que nunca postou uma foto sequer dentro de um jatinho, mesmo só voando em aviões particulares.

ivete sangalo rock in rio

Ivete Sangalo no Rock in Rio 2019

Patrimônio brasileiro, Veveta não é somente a melhor das melhores pra nos fazer levantar poeira do chão, mas hoje pode ser um norte para a comunidade artística que precisa se reinventar. Que estes tempos duros sejam o início de uma revolução e que todos nós, saibamos usar nossa influência para mostrar ao mundo que as coisas mais importantes da vida não são coisas. Confira a matéria de Leo Dias aqui.

Publicidade

Foto 1: Unsplash

Fotos 2, 3 e 4: Instagram

Foto 5: Getty Images


Gabriela Glette
Uma jornalista que ama poesia e mora na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Fala de estrela de ‘Star Wars’ em protesto por vidas negras mostra o que é engajamento político