Inspiração

Coronavírus: a mulher mais velha do mundo a vencer a doença teve alta

por: Yuri Ferreira

Ela nasceu em 1914, um tempo bem diferente do nosso. Mesmo através dos olhos de criança, viu o mundo entrar em um dos seus terríveis momentos: a Primeira Guerra Mundial e Gripe Espanhola. Onze anos depois, já na sua juventude, se viu em cenário pior ainda: o início de um novo conflito mundial e os bombardeios da Luftwaffe na cidade de Birmingham. Depois viu subir a cortina de ferro e a queda do Muro de Berlim. E depois de ter passado por tudo isso, ainda sobreviveu para vencer o coronavírus aos 106 anos. Essa é Connie Titchen.

Segundo informações do National Health System, o NHS, o SUS do Reino Unido, Connie Titchen, 106, recebeu alta do Hospital da Cidade Birmingham. Ela seria a paciente mais velha do mundo a testar positivo para a doença e receber alta.

– Sobrevivente da 2ª Guerra e Gripe Espanhola se cura do coronavírus ao 104 anos

Connie, 106, sobreviveu a diversos momentos delicados da história e venceu o coronavírus

Eu me sinto muito sortuda por ter ganhado a luta contra esse vírus. Eu mal posso esperar para ver minha família”, disse, em um belo vídeo feito no NHS.

“Ela teve uma vida bastante ativa na juventude. Amava dançar, andar de bicicleta e jogar golfe. Sempre cozinhou para si mesmo, apesar de amar um McDonald’s às vezes. Eu ainda não contei pra ela que o Mc está fechado”, brincou um de seus netos.

– Coronavírus: busca por cura pode te matar. O que o Google está fazendo contra isso

Acredito que o seu sucesso e segredo para essa idade é que ela sempre foi bastante ativa fisicamente e bastante independente. Ela fez uma operação na bacia em dezembro e pouco depois de um mês já estava andando novamente. Ela é maravilhosa e a família quer muito revê-la.”, completou.

– Coronavírus: mostre a fala de David Uip emocionado por cura para quem ainda quer romper quarentena

O Reino Unido é um dos países do mundo com maior número de casos confirmados da covid-19. O governo Boris Johnson havia adotado, em primeiro momento, a tática de mitigação – não exigindo quarentena, mas voltou atrás. A curva de infecção se intensificou nas últimas semanas de março e hoje parece começar a se achatar. São mais de 100 mil casos e 13 mil mortes até o presente momento.

Confira a postagem do NHS sobre a vitória de Connie:

Publicidade

Foto: Reprodução/NHS


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Maya Moore abandonou a fama no basquete para livrar homem negro da prisão; e conseguiu