Design

Designers e arquitetos ‘restauram’ virtualmente ruínas de castelos europeus

por: Mari Dutra

A empresa de seguros australiana Budget Direct convidou designers e arquitetos para “restaurar” virtualmente castelos europeus icônicos que hoje estão em ruínas. Usando renders arquitetônicos, eles reconstruíram espaços que estavam abandonados e agora poderão ser visitados virtualmente por diversas pessoas no mundo.

Tudo isso sem que ninguém precise sair de casa, é claro.

Do castelo de Gaillard, na França, à antiga propriedade na Romênia que pertenceu a Vlad, o Empalador, imperador que inspirou o personagem Drácula, os profissionais dedicaram dias de suas quarentenas a recriar estes espaços em ruínas. O resultado é inacreditável.

Castelo de Samobor, em Samobor, Croácia

O governante boêmio Ottokar construiu o Castelo Samobor no século 13 durante uma guerra pelo Ducado da Estíria. Embora tenha saído perdedor, as ruínas do castelo permanecem e podem ser visitadas a apenas 10 minutos a pé da cidade. Entretanto, o único elemento original que resistiu é a torre de guarda, o restante faz parte de modificações realizadas na construção no século 16.

Animação mostra as ruínas do Castelo Samobor sendo reconstruídas digitalmente

Castelo Samobor, na Croácia

Castelo Poenari, na Valáquia, Romênia

Localizado no alto de uma colina, o Castelo Poenari pertenceu a Vlad, o Empalador. O imperador sanguinário reconhecido por empalar suas vítimas serviu de inspiração para Bram Stoker criar o personagem Drácula.

Animação mostra as ruínas do Castelo de Poenari sendo reconstruídas digitalmente

Castelo Poenari, na Romênia

Castelo de Spiš, Spišské Podhradie, Eslováquia

Em uma área de quatro hectares, o Castelo de Spiš é considerado um dos maiores do mundo. Listado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, ele está recebendo cuidados de conservação há décadas.

Castelo de Spiš, na Eslováquia

Castelo de Olsztyn, Olsztyn, Polônia

Sabe-se que o Castelo de Olsztyn foi construído antes de 1306 e que a construção foi expandida entre os anos 1349 e 1359 para defender a Polônia contra os tchecos. No século 16, o castelo foi renovado, ganhando toques renascentistas. Infelizmente, hoje há apenas ruínas no local.

Castelo de Olsztyn, na Polônia

Castelo de Menlo, Galway, Irlanda

Destruído por um incêndio em 1910, os resquícios do Castelo de Menlo hoje encontram-se cobertos de vegetação. O verde confere um encanto de conto de fadas ao local, que era usado como residência pela família Blake.

Castelo de Menlo, na Irlanda

Castelo de Dunnottar, Stonehaven, Escócia

O Castelo de Dunnottar teve um papel fundamental nas disputas entre ingleses e escoceses ao longo dos anos. Em uma dessas reviravoltas da história, William Wallace sitiou e retomou o castelo em 1297, o que rendeu à construção uma ponta como locação no filme “Coração Valente”.

Castelo de Dunnottar, na Escócia

Château Gaillard, Les Andelys, França

Construído entre 1196 e 1198 por Ricardo I da Inglaterra como defesa contra Filipe II de França, o castelo desempenhou um papel fundamental nas disputas entre os dois países até ser abandonado no século 16.

Château Gaillard, na França

Publicidade

Fotos: Budget Direct


Mari Dutra
Especialista em conteúdos digitais, Mariana vive na Espanha, de onde destila textos sobre turismo, sustentabilidade e outros mistérios da vida. Além de contribuir para o Hypeness desde 2014, também compartilha roteiros e reflexões mundo afora no blog e no Instagram do Quase Nômade.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Conheça 12 edifícios icônicos do arquiteto Frank Lloyd Wright sem sair de casa