Viagem

Palmeiras e calor? Os mistérios do Deserto do Saara egípcio

por: Vitor Paiva

Uma imensa e ancestral pirâmide em meio a um deserto é provavelmente a primeira imagem que vem à cabeça de qualquer pessoa quando pensamos no Egito. Há, porém, paisagens muito mais variadas e impressionantes nesse misterioso e milenar país do que simplesmente templos geométricos, camelos e infinitas vastidões de areia. De oásis verdes a paisagens inesperadas do deserto do Saara, o Egito é muito mais do que costumamos pensar.

Trata-se de formações geológicas quase alienígenas de tão impressionantes, focos verdes em meio ao deserto, resquícios vulcânicos na região e muito mais. Tanto quanto seu passado imperial e culturalmente riquíssimo, a natureza do Egito pode ser também uma atração fundamental para os visitantes do país, que é muito mais rico do que podemos imaginar. As imagens e informações aqui dispostas foram reunidas por Juan Martinez em matéria para a BBC.

As depressões de Bahariya e Farafra

Uma das paisagens mais raras do Saara egípcio, trata-se de um ponto rico para a descoberta de fósseis e outros remanescentes de milhões de anos, assim como um dos pontos naturais mais bonitos do país. Todos os cenários aqui mostrados ficam entre as depressões de Bahariya e Farafra.

Um oásis no meio do clima árido

A 370 km da capital Cairo, o oásis de Bahariya se formou depois que a depressão alcançou um lençol de água e trouxe vida à região. Com palmeiras e frutas frescas, além da natureza surpreendentemente exuberante, acredita-se que as águas quentes da região podem ter poderes de cura.

O deserto negro

Montanhas cobertas por uma areia preta formam o que ficou conhecido como Deserto Negro, um local que também parece direto de outro planeta. A misteriosa areia, que cobre tudo que passa por lá, é oriunda de um passado de atividades vulcânicas na região, ainda no período jurássico.

Pedregulhos dourados de calcário

A paisagem muda rapidamente na região, e a alguns quilômetros do deserto negro em uma região de planície imensos pedregulhos de calcário surgem dourados a partir da erosão de milhões de anos. Outro cenário quase espacial, mostra como é variada a paisagem entre as depressões de Bahariya e Farafra.

Montanhas de cristais

Imensos estalagmites feitos de cristal na região parecem feitos de quartzos, mas em verdade são cristais de calcita. A paisagem impressiona, com montanhas de cristais sem cores mas com belezas singulares.

O Deserto Branco

A 126 km do Deserto Negro, seu exato oposto: o Deserto Branco, possivelmente o cenário mais estranho da região. São como grandes ondas, mas no lugar do mar a paisagem é feita de pedras de calcário, formadas inicialmente há 30 milhões de anos, e esculpidas pela natureza desde então.

A noite no Deserto Branco

Muitos creem que a melhor hora para se vislumbrar a beleza do Deserto Branco é à noite – quando as imensas pedras brancas refletem a luz da lua. As incríveis formas das pedras se destacam também à luz do luar, feito fossem templos naturais.

Dormir sob as estrelas

Ainda falando da noite no Deserto Branco, é possível acampar e dormir no local, admirando as incríveis estrelas do deserto e também se protegendo do frio intenso – à noite a temperatura cai até 0°C. Quem já viveu garante que as milhões de estrelas fazem o frio magicamente ser esquecido durante a noite.

Publicidade

© fotos: Juan Martinez


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Bolo de rolo só que não: o bolo da Malásia que é a sobremesa mais complexa do mundo