Ciência

Por que o coronavírus está matando mais homens que mulheres

por: Vitor Paiva

Pesquisas e estatísticas mostraram desde o início da pandemia do novo coronavírus que, ainda que qualquer pessoa deva se proteger rigorosamente de uma possível contaminação, os principais grupos de risco eram mesmo os mais velhos e aqueles com doenças associadas. Há, no entanto, outro grupo especialmente afetado pela doença, que vem intrigando cientistas em todo o mundo: os homens. Na Itália, de cada dez mortos, sete eram homens – no Brasil esse número chega a 58% dos falecimentos pela Covid-19.

Representação do coronavírus © Pixabay

Desde o surgimento da doença, na China, passando pelo surto que tomou a Europa e até a chegada nos EUA e no Brasil que tal tendência foi identificada. Segundo pesquisas, não há somente uma resposta, mas sim uma combinação de fatores – biológicos, comportamentais e até de estilo de vida. Em todo o mundo os homens tendem a beber e fumar mais do que as mulheres, tornando-se assim vítimas em maior potencial de doenças pulmonares e cardíacas.

Como se não bastasse, estudos mostram que homens lavam menos as mãos do que as mulheres, usam menos sabão na higiene pessoal, visitam menos os médicos e ainda tendem a não seguir orientações de autoridades de saúde. Há pesquisas que sugeres que a diferença é também biológica: pelo cromossomo X conter um grande número de genes de imunidade, as mulheres, com dois de tal cromossomo, teriam uma resposta imune mais forte a doenças que os homens.

Homens mantém hábitos prejudiciais à saúde, como tabagismo © Pixabay

No Brasil, apesar do número próximo à metade dos casos, o fato da população por aqui ser majoritariamente feminina – há 4 milhões de mulheres a mais entre a população brasileira acima de 60 anos. Tais conclusões, porém, são ainda prematuras, e novas pesquisas estão sendo feitas em todo o mundo para responder de forma conclusiva e inconteste a realidade que as estatísticas mostram: que homens morrem mais do que mulheres de Covid-19.

A manutenção de hábitos de higiene são determinantes para o combate à doença © Getty Images

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Mônica, 1ª vacinada do país, é voluntária contra covid-19 mesmo sendo do grupo de risco: ‘Não tenham medo’