Criatividade

Quarentena: idosa de 93 anos viraliza ao pedir que vizinhos comprem cerveja

Yuri Ferreira - 13/04/2020

Uma moradora da pequena cidade de Seminole, próxima de Pittsburgh,  na Pensilvânia, chamou muita atenção nas redes sociais. Olive Veronesi, de 93 anos, viralizou após uma rede de televisão americana postar uma imagem da senhorinha pedindo que comprem cerveja para ela. Segurando em suas mãos uma plaquinha com os dizeres ‘I Need More Beer‘ (Eu preciso de mais cerveja), ela virou um fenômeno da internet.

– Idosa dá o exemplo, respeita quarentena e costura 1 mil máscaras para doação

Oliver Veronesi, de 93 anos, podia pedir qualquer coisa. Mas escolheu mais cerveja para passar a quarentena.

Por sua idade muita avançada, Olive não está indo nem ao supermercado para comprar produtos de subsistência básica (que para ela, pode ser um engradado de cerveja). Respeitando as ordens sanitárias, ela teve que pedir para que os seus familiares comprassem cerveja para não correr risco de ser contaminada pelo novo coronavírus.

– Vídeo: mulher de 82 anos em quarentena por coronavírus ganha parabéns da janela

Segurando uma latinha de Coor’s Light, a imagem foi curtida por mais de dez mil pessoas no Facebook, após ser postada na página de uma rede de televisão local. Segundo familiares, em reportagem da Sky New, várias cidadãos norte-americanos se ofereceram para aumentar o estoque de cerveja de Veronesi.

A situação da covid-19 nos Estados Unidos preocupa.O país possui o maior número de infectados no mundo e o lockdown está sendo feito de maneira intensa. São mais de 500 mil contaminados e 23 mil mortos, números que já ultrapassam os da Itália.

– Idosa ganha serenata da família na janela para celebrar seus 83 anos

Segundo o instituto de pesquisa Nielsen, os hábitos alimentares do americano pioraram bastante durante a quarentena. A venda de fermento para bolo cresceu 649% e o consumo de bebida alcoólica aumentou de 55% em comparação ao mês de março de 2019. A venda de álcool por meio de aplicativos online cresceu 249% no período comparado.

Além disso, no país com a maior taxa de obesidade do mundo, o aumento do sedentarismo preocupa: com possibilidade reduzida de fazer exercícios físicos e com consumo maior de alimentos não saudáveis, os EUA podem entrar em uma espiral de adoecimento, causando problemas de saúde pública a longo prazo graças à pandemia de coronavírus.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Facebook


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.