Design

Rede brasileira de makers usa impressão 3D para produzir máscaras em escala

por: Gabriela Glette

Além do isolamento social e hábitos de higiene eficazes, a tecnologia está sendo uma grande aliada na luta contra a propagação do coronavírus. Neste sentido, com o rápido aumento de casos no Brasil, juntamante com a escassez de materiais, uma rede formada por diversas comunidades makers da Baixada Santista, passou a usar a impressão 3D para produzir máscaras de proteção em escala.

impressão 3D máscaras coronavírus 5

O modelo utilizado foi desenvolvido pelo checo Josef Průša e já está aprovado pelo ministério de saúde do país. A iniciativa surgiu a partir do Careables América Latina de Olinda, em Pernambuco, plataforma de cooperação internacional especializada em saúde e tecnologias livres. A rede é formada por líderes do projeto global Careables, juntamente com o Santos Hacker Clube, o GT de Cultura Hacker do LAB Procomum, o Atêlie Hacker e outros makers voluntários da cidade de Santos.

impressão 3D máscaras coronavírus 4

Em apenas quatro dias, o grupo já conseguiu imprimir 230 máscaras de proteção e hoje já são 15 máquinas imprimido o material. Segundo Fernanda Camara – hacker envolvida no projeto: “Iniciamos uma verdadeira luta contra o relógio para ativar a comunidade, os equipamentos e saberes. A cultura hacker trata-se disso, criar soluções rápidas para solucionar problemas na prática.”

impressão 3D máscaras coronavírus 6

À medida que as máscaras começaram a ser impressas, a comunidade entrou em contato com a Santa Casa de Santos e o modelo foi aprovado pela comissão de médicos da instituição. Serão doadas ao menos 200 máscaras às equipes de apoio, como as equipes de limpeza, segurança e outros funcionários do hospital.

impressão 3D máscaras coronavírus 7

A luta contra o coronavírus

Além de imprimir as máscaras, a rede também está mobilizando soluções para os problemas urgentes da pandemia, e prototipando equipamentos de automatização de envases de álcool em gel. A ideia é fazer com que o álcool em gel possa ser utilizado sem que as pessoas necessitem tocar o envase, através de um sensor de movimento.

Publicidade

Fotos: divulgação


Gabriela Glette
Uma jornalista que ama poesia e mora na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Covid-19: inventor da máscara N95 abandona aposentadoria para combater vírus