Sustentabilidade

Tartarugas retornam em massa para fazer ninhos na costa da Índia

por: Mari Dutra


Milhares de tartarugas marinhas da espécie Olive Ridley (Lepidochelys olivacea) chegaram à costa da Índia para fazer seus ninhos em março. Pela primeira vez em sete anos, o litoral do estado de Odisha pode presenciar a chegada de tartarugas durante o dia.

A última vez que o ritual ocorreu à luz do dia foi em 2013, visto que as tartarugas costumam recorrer à costa apenas ao anoitecer.

– Tartarugas marinha bebês queimadas até a morte em praia são alerta para preservação da espécie


Embora o fenômeno tenha coincidido com a quarentena imposta pela Índia devido à pandemia de Coronavírus, especialistas e oficiais do governo ouvidos pelo The Mongabay-India negam que o aumento no número de tartarugas esteja relacionado à ausência de turistas.

O ambientalista e presidente da Orissa Environment Society, S.N. Patro, explica: “O que o bloqueio do país pode fazer é reduzir as baixas das tartarugas marinhas ou os danos que seus ovos sofrem em dias normais. No entanto, na ausência de movimentos humanos, ataques de pragas e ataques de outros animais também podem aumentar”.

Na região de Rushikulya, onde as tartarugas chegaram em massa, o movimento de pessoas próximo às áreas de ninhadas já era regulado antes mesmo da quarentena.

– Índia: brasileiros em quarentena relatam xenofobia e assédio: ‘Ele mexeu nas partes íntimas’

Tartarugas Olive Ridley

Segundo a Organização para a Vida Selvagem de Odisha (OWO), quase 50% da população mundial das tartarugas Olive Ridley coloca seus ovos nas praias de Gahirmatha e Rushikulya Rookery, ambas em Odisha, na Índia.

Consideradas as tartarugas marinhas mais abundantes no mundo, com cerca de 800 mil fêmeas fazendo ninhos a cada ano, a Olive Ridley é listada como “vulnerável” na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN).

De acordo com a WWF, a espécie é considerada vulnerável porque cria ninhos em raríssimos lugares, de forma que qualquer distúrbio a apenas uma destas praias pode representar uma ameaça a toda a população.

Publicidade

Foto em destaque CC BY-SA 3.0 Bernard Gagnon


Mari Dutra
Criadora do Quase Nômade, contadora de histórias, minimalista e confusa por natureza, com os dois pés (e um pet) no mundo. Chega mais perto no Instagram.


X
Próxima notícia Hypeness:
“Nobel Verde” anuncia quem são os ativistas ambientais vencedores em 2020