Futuro

Aquecimento global está fazendo esta espécie de aranha recorrer ao canibalismo; entenda

por: Gabriela Glette

Há quem não acredite em aquecimento global. Neste caso, nada melhor do que a ciência para provar que ele não somente é real, como responsável por verdadeiros estragos, não é mesmo? O aquecimento do Ártico vem causando comportamentos estranhos na natureza, como a espécie de aranha que está recorrendo ao canibalismo para sobreviver.

aranha canibalismo mudanças climáticas 1

Uma equipe de pesquisadores do Alasca descobriu que as aranhas-lobo fêmeas estão comendo aranhas juvenis e reduzindo a população em certas áreas. No entanto, longe de ser uma prática natural da espécie, isto está acontecendo porque à medida que seu habitat se aquece, elas estão tornando-se maiores e produzindo mais descendentes, o que está criando mais competição por recursos.

aranha canibalismo mudanças climáticas 2

O comportamento foi observado por pesquisadores da Universidade de Washington, enquanto trabalhavam em alguns locais no Ártico do Alasca. Para Amanda Koltz – uma das biólogas envolvidas na pesquisa: Embora o canibalismo provavelmente não seja a melhor opção alimentar para essas aranhas, nossos dados experimentais e de campo sugerem que, quando há muitas aranhas ao redor, eles se voltam para o canibalismo com mais frequência”.

aranha canibalismo mudanças climáticas 3

A prática também está acontecendo com outras espécies, que também costumam regular sua temperatura corporal, mas estão apresentando mudanças devido ao aquecimento global. Embora o canibalismo entre aranhas-lobo já tenha sido visto na natureza, o estudo de Koltz é o primeiro a determinar que ele está sendo responsável pela regulação da população entre as espécies. Segundo ela: “A canibalização de outras aranhas da mesma espécie reduz a competição, reduzindo o número de outras aranhas ao redor”.

Quando questionada, a bióloga diz que espera que sua pesquisa chame a atenção do mundo em relação às mudanças climáticas:Os resultados de nosso estudo são um lembrete de que mudanças no tamanho do corpo de invertebrados, impulsionadas pelas mudanças climáticas, podem ter conseqüências ecológicas generalizadas, incluindo mudanças na competição intra-específica, dieta e estrutura populacional”.

Publicidade

Foto 1: Ashley Asmus

Foto 2: Nick LaFave

Foto 3: Amanda Koltz


Gabriela Glette
Uma jornalista e produtora de conteúdo que mora na França. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias. Gabriela também é fundadora do site Quokka Mag, onde fala apenas sobre coisas boas!

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ser humano vai desaparecer da Terra antes das florestas, conclui estudo