Inspiração

Coronavírus mata mordomo da Casa Branca de 91 anos que trabalhou para 11 presidentes

por: Vitor Paiva

Se o imaginário dos filmes policiais do passado sugere que a culpa é sempre do mordomo, na vida real o sentimento não poderia ser mais contrário: ao mordomo, os aplausos, em especial no caso de Wilson Jerman. Funcionário da Casa Branca, residência oficial dos presidentes dos EUA, desde 1957, Jerman trabalhou no local durante o mandato de 11 presidentes. Sua história é marcada pela dedicação e o profissionalismo exemplares, e pelo afeto nutrido por ele pelos mandatários das mais diversas épocas e orientações políticas – afeto que fica claro no momento da notícia que Jerman não resistiu à Covid-19, vindo a falecer aos 91 anos.

Wilson Jerman, o mordomo da Casa Branca © National Archives/Tina Hague

“Com sua gentileza e carinho, Wilson Jerman ajudou a tornar a Casa Branca um lar por décadas de Primeiras Famílias, incluindo a nossa”, escreveu a ex-primeira-dama Michelle Obama. “Seu serviço aos outros – sua vontade de ir além do país que ele amava e de todos aqueles cujas vidas ele tocou – é um legado digno de seu espírito generoso”. Jerman começou como funcionário da limpeza da Casa Branca durante a administração Eisenhower, e à época de sua aposentadoria, em 2012, trabalhava como operador de elevador, durante o governo Obama.

Jerman trabalhando com os Obama © Samantha Appleton

© Shanta Taylor

Foi durante o mandato de John Kennedy que Jerman tornou-se mordomo da residência, função que ocupou até 1993, durante o governo Clinton. “Bill e eu estamos tristes por saber do falecimento de Wilson Roosevelt Jerman aos 91 anos por Covid-19. Jerman trabalhou como mordomo da Casa Branca em 11 presidências e fez gerações de primeiras famílias se sentirem em casa, incluindo a nossa”, escreveu Hillary Clinton no Twitter. “Nossos pêsames mais calorosos a seus entes queridos”.

Com sua família ao lado do casal George W. Bush © Shanta Taylor

Em 2003 ele retornou à Casa Branca, durante a administração George W. Bush. Para celebrar seus mais de 50 anos de serviço, o Presidente Obama lhe ofereceu uma série de placas com os 11 presidentes para quem trabalhou. Jerman deixa 4 filhos, 12 netos e 18 bisnetos.

© acervo familiar

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Nova Zelândia (outra vez) mostra criatividade para falar aos jovens sobre pornô