Debate

Machista recebe frango cru após assediar atendente de restaurante; entenda

por: Karol Gomes

Machistas não passarão – e nem comerão. Não no restaurante em Porto Velho, que não tolerou a atitude de um cliente com a atendente que anotava os pedidos. A resposta do dono do estabelecimento viralizou nas redes sociais: ele enviou um prato de frango cru ao homem que importunou sua funcionária. Na própria página do restaurante, o post teve mais de 2 mil compartilhamentos em poucas horas.

A funcionária em questão, Gaby, é esposa do dono, Jeferson. Desde que abriram o restaurante Kverna do Urso como sócios, em dezembro de 2016, já tinham passado por algumas situações desagradáveis envolvendo clientes homens, que desrespeitam Gaby no atendimento, mas nunca como a que aconteceu esta semana.

– ‘Masterchef’ tem expulsão após participante servir ave crua com penas 

Machista recebe frango cru após assediar atendente

O consumidor fez um pedido de coração de galinha, e Gaby perguntou a ele, pelo Whatsapp do restaurante, qual deveria ser o ponto da carne. Neste momento, o homem passou a enviar mensagens de cunho sexual à funcionária.

“Olha, linda, se a galinha tivesse uma voz suave e gostosa como a sua poderia até ser ‘crua’, se é que me entende”, afirmou o homem, que foi além: “Tenho certeza que você sabe o ponto que eu gosto”.

– Luísa Sonza cita machismo após fim de casamento com Whindersson: ‘Tudo pra mulher é mais difícil’

Em entrevista ao portal Universa, da UOL, Jeferson conta que Gaby segue abalada com a mensagem e ainda não se sente à vontade para conversar sobre o caso. “Vi que tinha algo errado. Ela começou a ficar trêmula, tensa. Aí eu peguei o celular, pedi para ela ir descansar, e vi as mensagens. Fiquei revoltado”, contou o empresário, que não respondeu mais nada ao cliente, só começou a “preparar” o pedido.

– ‘Isso aqui é comida ou cocô, te falo em meia hora’: Tatá Werneck rebate machismo e nega gravidez

Cerca de 30 minutos após a última mensagem, o cliente enviou uma foto revoltado. A marmita estava com os pedaços de frango sem cozimento. “Cadê o dono deste estabelecimento?”, questionou. Jeferson, então, respondeu às mensagens, em tom de ironia.

“Fico feliz que tenha recebido seu pedido conforme solicitou. Reza a lenda que esta galinha antes de morrer falou ‘pó pó pó’ com a voz suave e gostosa, se é que você me entende”, escreveu.

– Ação contra o machismo no futebol tem apenas mulheres em coletiva. Homens assistem na TV

Depois, o dono enviou mais uma mensagem explicando que o pagamento do pedido foi estornado e que o homem deveria ter mais respeito às mulheres. “Se quiser, posso ir ai pegar seu pedido de volta, mas vou com a polícia”, finalizou o comerciante.

Jeferson relata que sua resposta ao cliente não foi por ciúmes ou porque a vítima do assédio se tratava de sua esposa. “Quando estamos no restaurante, é cada coisa em seu lugar. Ali, ela é minha colaboradora e atendente, mas eu precisava, por uma simples questão de dignidade humana, responder isso para ele”, disse. Minutos depois, o cliente enviou uma nova mensagem, pedindo desculpas à atendente.

Publicidade

Foto: Reprodução / Facebook


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mulher sofre estupro coletivo por 12 homens em SP e precisamos falar sobre isso