Ciência

Maio com céu mais limpo terá chuva de meteoro e estrela cadente

por: Yuri Ferreira

No mês de abril vimos a maior lua desse ano: a Superlua Rosa. Isso não significa que o calendário de fenômenos astronômicos tenha acabado. Para quem tem o costume de ficar contando estrelas, o céu de maio reserva incríveis acontecimentos. Um céu mais limpo com chuva de meteoros na constelação de aquário e estrelas cadentes promete aparecer para quem ficar observando a abóbada celeste durante a quarentena em sua casa.

– Vídeo mostra meteoro caindo em cidade do interior; velocidade impressiona

Chuva de meteoros vai poder ser observada na direção leste por volta das 3 horas da manhã no próximo dia 6 (quinta-feira)

No dia 6 de maio (quinta-feira), você vai poder ver de dentro de casa uma chuva de meteoros ao leste durante a madrugada. Mais especificamente às 3 da manhã, as ETA Aquáridas, originadas da poeira cósmica do Cometa Halley, irão fazer um show no céu do Hemisfério Sul e Norte. As previsões indicam que poderão ser vistos cerca de 50 cometas por hora.

No dia 15 de maio, é hora de testemunhar uma incrível conjunção no céu. A Lua estará em fase minguante bem pertinho de Marte e da constelação de Aquário. Além deles, os gigantes Júpiter e Saturno estarão bem ao lado do nosso satélite – na nossa visão, é claro.

– Terra se prepara para passagem de asteroide 5 vezes o tamanho de prédio mais alto do mundo

Depois, no dia 20 de maio, o cometa C/2020 F8 (Swan) vai atingir o seu brilho máximo na direção de Perseu. O cometa, descoberto no início de março pelos astrônomos da NASA, poderá ser observado na direção do hemisfério norte com binóculos durante a madrugada.

No dia 22, a ‘Estrela D’Alva’ vai sair do nosso céu da tarde. Ela abandona a sua aparição durante a tarde quando está bem próxima de Mercúrio, podendo ser observada durante o pôr-do-sol. A duplinha estará no céu do Oeste quando a noite chegar. Depois, ela volta em Junho para ser observada durante a manhã, no comecinho do dia, antes do amanhecer.

Com a redução da poluição atmosférica causada pela quarentena de coronavírus, a observação de fenômenos astronômicos pode ser facilitada, em especial nas grandes cidades.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Raça antiga e rara de cães cantores é avistada na selva após 50 anos de sumiço