Sustentabilidade

O que se sabe sobre as ‘vespas assassinas’ que assustam produtores nos EUA

por: Yuri Ferreira

Patrocinado por: Raízen

Uma manchete publicada pelo New York Times e pela BBC no Brasil causou uma grande confusão na internet. Após o aparecimento de vespas mandarinas no estado de Washington, nos EUA, uma série de veículos publicaram reportagens confusas sobre o surgimento desses insetos na região, dando a entender que eles poderiam assassinar humanos. Nessas horas, é preciso de um pouco de calma para entender o que está acontecendo.

As vespas mandarinas são as maiores vespas do mundo – atingindo até 5 centímetros – e sua aparição nos EUA pode ser preocupante para a espécie humana, mas não do jeito que a maioria das pessoas está pensando. Esses insetos, naturais do Japão, raramente atacam seres humanos e poucos desses ataques podem levar à morte. A grande preocupação é com o desequilíbrio ecológico que elas podem causar.

30 a 50 pessoas morrem por ano por ataques de vespa mandarina – um número baixo. O problema real está no impacto ecológico que esse inseto pode ter na vida das abelhas

As autoridades ambientais de Washington se preocuparam com o surgimento das vespas mandarinas porque elas são predadoras, em especial, de abelhas. Elas preocupam apicultores e agricultores no geral porque uma redução ainda maior no número de abelhas no mundo pode prejudicar a polinização de espécies inteiras de vegetais, provocando um grande desequilíbrio ecológico.

“As vespas mandarinas destroem as colmeias de abelha. Algumas vespas conseguem destruir uma colmeia inteira em questão de horas. Elas entram num modo “decapitador”, matando as abelhas através do corte de suas cabeças. Então, elas tomam a colmeia para elas, utilizando os favos para alimentar as vespas mais jovens. Elas também atacam outros insetos, mas não são conhecidas por destruir suas colônias”, afirmou o Departamento de Agricultura do Estado de Washington em comunicado oficial

O desaparecimento das abelhas pode representar uma catástrofe e até a extinção da humanidade. Segundo um estudo da Revista Electrónica de Veterinaria, entre 2006 e 2008, quando houve um misterioso desaparecimento de abelhas nos EUA, o prejuízo foi estimado em 14 bilhões de dólares. Somente a erradicação rápida dessas vespas pode conter, inclusive, a sua chegada em outras regiões do continente americano.

– 8 coisas que você pode fazer para ajudar as abelhas a sobreviver

Por isso, o Departamento de Agricultura do Estado de Washington fez um comunicado para os habitantes dos EUA. O pedido é que a população fique atenta e não mate as vespas, mas chame autoridades. Com maior noção da presença do inseto no país, mais fácil será a erradicação e a preservação das abelhas. “Se encontrá-las, corra e nos chame! É realmente importante para nós saber de todas as vezes que forem observadas, se quisermos ter esperança de erradicação”, disse o entomologista Chris Looney à BBC.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.


X
Próxima notícia Hypeness:
O salmão consumido no Brasil está acabando com a costa chilena