Ciência

Rio de SC abriga fósseis de répteis que viveram antes dos dinossauros

por: Vitor Paiva

A seca que assola o estado de Santa Catarina fez baixar consideravelmente o nível do Rio Negro, em Três Barras, na divisa com o estado do Paraná. Mais do que as rochas reveladas, a baixa das águas do rio revelou mais do que se poderia esperar: desconfiados do aspecto singular de algumas pedras, pesquisadores foram chamados para descobrirem se tratar de fósseis de répteis que viveram há 280 milhões de anos.

Recriação artística do Mesossauro encontrado em SC

Os fósseis de Mesossauro, répteis que mediam entre 80 cm e 1 metro e que, apesar do nome, são animais que existiram milhões de anos antes dos dinossauros. Tratam-se, segundo pesquisadores, de répteis aquáticos, que viviam num golfo conhecido na paleontologia como Golfo Irati, ainda na antiga pangeia, quando os continentes eram unidos. Segundo um dos pesquisadores, fósseis semelhantes já foram encontrados na África do Sul, e tal identificação é corroborada pelas ideias de deriva continental.

Equipe trabalhando na baixa do Rio Negro, em Três Barras

Os fósseis revelados pela seca estão sendo estudados por pesquisadores no Centro Paleontológico da Universidade do Contestado, mas a ideia é que em seguida sejam encaminhados para o museu da cidade. Os materiais foram coletados no último dia 16 de maio e, apesar dos males trazidos pela seca, a baixa no rio oferece aos pesquisadores oportunidade única, de pesquisar diretamente fósseis tão antigos quanto inacessíveis em outro momento.

Publicidade

© fotos: Universidade do Contestado/Divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Osmar Terra, negacionista da pandemia, está internado com covid-19 em UTI