Debate

SP quer antecipar feriados para aumentar isolamento social e frear coronavírus

por: Yuri Ferreira

Em conjunto com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), o prefeito Bruno Covas (PSDB) enviou um projeto para a Câmara dos Vereadores da capital paulista propondo o adiantamento dos feriados municipais da cidade para a semana dos dias 18 e 22 de maio. O objetivo da ação é reduzir a circulação de pessoas e aumentar o isolamento social para frear o coronavírus. A cidade é o maior foco da covid-19 no Brasil.

Atualização: a Câmara de Vereadores de São Paulo aprovou na tarde dessa segunda-feira (18) a antecipação dos feriados. 

Os feriados antecipados seriam o Dia da Consciência Negra (20 de novembro) e o Corpus Christi (21 de junho). Eles passariam para os dias 20 e 21 de maio (quarta e quinta-feira, respectivamente), com ponto facultativo na sexta-feira (22). Junto dessas medidas, o governador João Doria mandou um projeto que adianta a comemoração da Revolução Constitucionalista (9 de julho) para o dia 25, criando um feriadão de 6 dias seguidos.

– Coronavírus: Brasil só deve ter vida ‘normal’ em meados de agosto, dizem especialistas

Mesmo com ordens de isolamento social, trens da CPTM e outros transportes públicos se mantém lotados, criando alto risco para moradores de periferia se contaminarem com a doença

Segundo o Governo do Estado, com a maior taxa de isolamento social observada nos fins de semana, a medida ia colocar mais gente em casa. Cerca de 48% da população tem feito quarentena, número muito abaixo dos 70% previsto para que a reabertura do comércio aconteça no próximo dia 31.

“A expectativa é que o projeto possa ser analisado em regime de urgência e possa ter aprovação majoritária dos deputados na Assembleia Legislativa”, disse o Governador em coletiva. “Ficou muito claro que ao longo dos finais de semana e feriados nos últimos 56 dias, nós temos índices mais elevados de isolamento e isso contribui para o controle da pandemia”, acrescentou Doria.

– Coronavírus: fotógrafo registra o vazio do Centro de São Paulo durante a quarentena

A tendência do isolamento social na capital paulista aponta para um futuro terrível: a taxa de ocupação de UTIs está se mantendo em 90%, mas a previsão, segundo o Secretário de Saúde do Governo do Estado, Dimas Covas, é que em 15 dias o sistema de saúde entre em colapso total.

Medida conjunta de Covas e Dória busca frear a doença que pode acabar com o sistema de saúde do Estado com maior número de leitos no Brasil; governador incentiva Baixada Santista à fazer o mesmo

“Mesmo com todo o esforço feito até agora, na ampliação de leitos e de [disponibilização] dos novos leitos que já estão sendo contratados, isso tudo será insuficiente para o grau de evolução que estamos tendo nesse momento aqui na cidade”, disse o secretário.

– Brasil lidera taxa de contágio por coronavírus, diz estudo; SP vai endurecer quarentena

A medida é uma maneira de evitar o lockdown. João Doria tem sofrido grande desgaste político por parte de grupos ligados ao Governo Federal e empresários que querem uma reabertura total do comércio. O lockdown, que para diversos especialistas parece inevitável, iria proibir a população de sair de casa, liberando somente a operação de serviços essenciais.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ronnie Von relata ofensas por comprar lingerie: ‘cultura machista’