Inspiração

Tatá Werneck dá depoimento inspirador sobre maternidade: ‘Mãe antes de tudo’

por: Yuri Ferreira


A comediante, atriz e apresentadora do ‘Lady Night’, Tatá Werneck, participou do programa ‘Encontro com Fátima Bernardes’ na semana passada e fez um depoimento inspirador sobre maternidade. Conhecida por sua honestidade, Tatá falou sobre a romantização da gravidez, privilégios e desafios na criação de Clara Maria, sua filha com o ator Rafa Vitti.

Clara Maria sendo mimada pela mamãe de primeira viagem, Tatá Werneck, que afirmou se enxergar “como mãe antes de qualquer coisa”

A comediante, que sempre parece estar ligada no 220, disse que até a sua percepção de identidade mudou após o nascimento da criança. Ela ainda comentou a oportunidade de acompanhar de perto esse primeiro momento da infância.

– Tatá Werneck não perde piada e zoa própria filha

“É muito impressionante, porque hoje eu me vejo como mãe antes de qualquer coisa. E nesse momento eu estou conseguindo acompanhar. Eu teria voltado a trabalhar há dois meses, mas como eu estou em casa por causa da quarentena do coronavírus consigo acompanhar tantas coisas. Todo dia uma mudança diferente”, afirmou no Encontro com Fátima Bernardes.

 

A apresentadora do principal talk show da Globo ainda comentou sua gravidez. Cheio de polêmicas desde o começo e com uma grande abertura da comediante para relatar seus problemas, como a hiperêmese gravídica, o período foi midiaticamente conturbado – especialmente pela pressão dos fãs para que a criança nascesse logo (a internet é um lugar muito, muito estranho) – e Tatá abriu o jogo sobre a romantização da gestação:

“Achei que seria uma grávida com fotos lindas, que eu fosse dormir plenamente e acordar. Mas eu tive gases, eu tive dores, vomitei na perna do Rafa várias vezes. Não há romantismo, ou pelo menos na minha gestação não tive nenhum”, comentou.


Werneck, que tem cumprido um papel bastante ativo na quarentena, ameaçando expor os famosos que estão desrespeitando a ordem de isolamento social, também refletiu sobre seus privilégios. “As mulheres passam por muitas coisas. Muitas mudanças hormonais, corporais, fisiológicas, químicas, quando geram um bebê. Estou trazendo isso para a realidade. Se eu que sei que tenho privilégio tive dificuldade, fico imaginando as mães que não têm nenhum”

Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Nova Zelândia (outra vez) mostra criatividade para falar aos jovens sobre pornô