Arte

Artista usa pintura para recontar narrativas históricas equivocadas e amplamente aceitas

por: Gabriela Glette

O debate sobre descolonizar praças públicas da América, onde os monumentos costumam prestar homenagem a proprietários de escravos e generais fascistas, vai e volta conforme um incidente escancara a desigualdade estrutural presente em nossa sociedade. Desde o assassinato de George Floyd, no final de maio, inúmeros protestos anti racismo e truculência policial vêm acontecendo por todo o planeta. No entanto, muito tempo antes desta nova onda de protestos estourar, o artista Titus Kaphar já vinha envolvido na representação da arte ocidental e sua clara propensão por homens brancos.

Titus Kaphar arte contra racismo 1

Sua arte faz referência aos retratos de estilo clássico e renascentista ao mesmo tempo que reformula narrativas amplamente aceitas. Para nos recontar falácias que foram transformadas em fatos, ele manipula suas telas rasgando-as e cortando-as e submergindo-as em alcatrão preto, a fim de aflorar histórias suprimidas, falar sobre o racismo e conectá-lo às preocupações contemporâneas.

Titus Kaphar arte contra racismo 2

Sua prática é inovadora e perspicaz, já que consegue elucidar em poucas imagens aquilo que muitos tratados históricos ainda não deram conta. Popular desde 2009, o artista faz uma arte politizada e, por vezes ácida e já recebeu diversas premiações. Em 2018, Kaphar ficou entre os 25 artistas mais criativos nomeados 2018 pela MacArthur Fellows, iniciativa da MacArthur Foundation, que seleciona figuras especiais nas artes, ciências, engajamento cívico e comunitário e investe em seu potencial.

Titus Kaphar arte contra racismo 3

Baseado New Haven, Connecticut, o artista parece não considerar sua arte politizada, já que diz que aborda seu assunto através de lentes pessoais. “Faço pinturas que as pessoas percebem frequentemente como muito sociais ou políticas. Mas, na maioria das vezes, são todas muito pessoais. Tudo decorre do meu relacionamento com uma situação, uma narrativa, uma história”, explica.

Titus Kaphar arte contra racismo 4

Um de seus trabalhos mais célebres foi a arte ‘Ferguson Protesters’, encomendada pela revista Time logo após o assassinato de Michael Brown no Missouri, em 2014. Assim como George Floyd, o jovem de 18 anos foi morto por um policial, gerando protestos no mundo inteiro. O artista retratou a multidão com as mãos para cima e lavou a imagem com violentas barras de tinta branca, simbolizando o silenciamento da comunidade, o apagamento de homens negros e braço forte do sistema de justiça criminal. Nem precisa dizer que seu trabalho percorreu o mundo e ganhou inúmeras menções.

Titus Kaphar arte contra racismo 6

O passado e presente racista do mundo está presente no trabalho de Kaphar, que com muita criatividade e perspicácia estética, oferece o protagonism histórico para figuras apagadas e silenciadas: os negros. Sua arte nunca foi tão atual e necessária!

Titus Kaphar arte contra racismo 7

Titus Kaphar arte contra racismo 5

Publicidade

Fotos: John D. e Catherine T. / MacArthur Foundation


Gabriela Glette
Uma jornalista e produtora de conteúdo que mora na França. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias. Gabriela também é fundadora do site Quokka Mag, onde fala apenas sobre coisas boas!

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Taís Araújo vai representar Marielle Franco em especial da Globo