Debate

China detecta novo surto de coronavírus em tábua de cortar salmão e fecha mercado de Pequim

Yuri Ferreira - 16/06/2020

Um novo surto de coronavírus foi detectado na capital da China, Pequim. Segundo as autoridades chinesas, os casos estão relacionados a uma tábua de cortar salmão em um mercado atacadista na maior cidade do país. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a origem da covid-19 no ponto de vendas é apenas uma ‘hipótese’. O governo de Xi Jinping recomendou a seus cidadãos que não comprassem mais o produto até mais informações e fechou o mercado de Xinfadi, além de implantar o lockdown em 11 bairros da capital.

A China foi a origem da doença. Em Wuhan, na região central do país, foram registrados os primeiros casos da covid-19 no mundo. Apesar do novo coronavírus ter se espalhado ao redor do mundo, as autoridades chinesas conseguiram controlar a doença rapidamente com forte isolamento social em todo seu território. Porém, a reabertura das atividades – como comércios, escolas e o futebol – pode ter auxiliado o que se acredita ser uma segunda onda da epidemia.

– China anuncia que não vai permitir o consumo de cães e gatos como alimento

Pequim pode enfrentar nova onda de coronavírus grave; cidade, que já passou por lockdown severo, pode voltar a fechar as portas

O novo surto, entretanto, parece pequeno: segundo os dados oficiais, são pouco mais de 200 casos ativos da doença no país e 40 de ontem para hoje. O Brasil teve, em comparação, 20.647 novos casos entre segunda-feira (15) e hoje.

A OMS descartou que a ‘tábua de salmão’ seja a única possibilidade de origem do vírus e está tratando a situação como uma hipótese. Além disso, a organização está trabalhando junto das autoridades chinesas para compreender as razões do novo surto e sua dimensão.

– ONU: consumo elevado de carne responde por 70% de novas doenças em humanos

“Isso não quer dizer que nós acreditamos que as autoridades vão perder o controle da situação, nós queremos entender o que o país está fazendo e, mais importante, o que ele está aprendendo com a origem e a transmissão”, disse o diretor de emergências da entidade, Michael Ryan, à CNBC.

Em Wuhan, as suspeitas de que o novo coronavírus tenha vindo de um mercado de carnes também levantou preocupação sobre questões sanitárias relacionadas ao consumo de carne no país asiático. Outra consequência da segunda onda da covid-19 em Pequim é o bloqueio comercial aos países nórdicos (como Dinamarca, Noruega e Suécia), que irão parar de fazer exportações a um dos maiores consumidores de peixe do mundo.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.