Debate

Coronavírus: Brasil tem mais de 1 mil óbitos pela 9ª vez e registra quase 1 morte por minuto em cenário de subnotificação

por: Redação Hypeness

Com mais de três horas de atraso, o Ministério da Saúde divulgou, na noite de quarta-feira (3), o boletim diário da pandemia do coronavírus no Brasil. Os dados mais recentes indicam 1.349 mortes confirmadas em 24 horas no Brasil. Ou seja: uma a cada 64 segundos, o maior número já contabilizado. O índice supera a alta de ontem, quando foram registrados 1.262 óbitos.

Com isso, o total de óbitos chega a 32.548. O número de pessoas recuperadas da doença também sobe a cada dia e já chega a 238.617, o equivalente a 40,9% dos pacientes. Com a inclusão de 28.633 novos diagnósticos, o país contabiliza 584.016 casos em todo o seu território. Ainda segundo a pasta, mais de 312 mil casos seguem em acompanhamento, sem diagnóstico confirmado.

– Coronavírus: 1 dia sem distanciamento social causa 2,4 dias de surto da covid-19

Com o atraso na divulgação, os números escaparam do destaque nos principais telejornais do país, que garantem a audiência no horário nobre.

É possível ainda que o número de mortos pelo novo coronavírus no Brasil seja bem maior que o mensurado ou de casos não confirmados. Em meio à pandemia, a quantidade de mortes por doenças respiratórias explodiu no Brasil. O número de óbitos em decorrência de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) cresceu 20 vezes em relação ao ano passado, de acordo com as declarações de óbito registradas nos cartórios do país.

– OMS coloca América do Sul como epicentro do coronavírus e Trump veta voos do Brasil

A comparação foi realizada no período de 16 de março — quando houve a primeira morte por covid-19 no Brasil — e 3 de junho. Em 2019, foram 349 óbitos que tiveram SRAG como causa registrada. Neste ano, já são mais de 20 vezes essa quantidade: 6.994 mortes.

Brasil bate novo recorde de mortos pela covid-19

– Fiocruz diz que coronavírus chegou ao Brasil antes do Carnaval; Rio teve 1ª morte

Este crescimento pode mostrar que há um problema na classificação correta das mortes de causa respiratória durante a pandemia — algumas dessas mortes podem ter acontecido em razão do novo coronavírus, mas teriam sido registradas como SRAG. Com base nesses dados, eles avaliam que esse aumento de 1.904% tem relação direta com a covid-19.

Os números constam no Portal da Transparência da Arpen (Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais). É preciso considerar, porém, que os cartórios têm até 13 dias para atualizar os dados. Dessa forma, os números ainda podem ser revistos.

Publicidade

Foto: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ufólogos analisam fotos e vídeos com luzes desconhecidas no céu do Rio Grande do Sul