Debate

Curitiba foi do exemplo ao caos com casos de coronavírus quintuplicando após reabertura precipitada

por: Redação Hypeness

Para um momento de pandemia, as coisas até que corriam bem em Curitiba, capital do Paraná: até metade de maio, eram 600 casos de covid-19 e a taxa de ocupação de UTIs não ultrapassava os 50%. Em março, quando entraram em vigor as medidas de isolamento social, a adesão dos curitibanos foi boa, bem como a obrigatoriedade do uso de máscara nos locais públicos

Mas, pouco mais de 100 dias após registrar os cinco primeiros casos de coronavírus, a situação passou de confortável para dramática em relação ao contágio do coronavírus. Conforme mostrou a BBC Brasil, com o surto controlado, a prefeitura da cidade relaxou as regras e permitiu a reabertura de shoppings, restaurantes, igrejas, templos e academias no dia 20 de maio. O resultado: os casos quintuplicaram.

Curitiba saiu de exemplo ao caos

– Coronavírus: Brasil completa 1 mês sem ministro da Saúde com 43,9 mil mortos e 3º maior número de óbitos em 24h

Na segunda-feira (22), eram 3.032 casos confirmados e 114 óbitos. Na terça-feira passada (16 de junho), houve recorde de 510 registros. Em todo o Paraná, são 14.336 casos e 460 mortes, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

O Conselho Regional de Medicina do Paraná confirmou, na segunda-feira (22), a primeira morte por covid-19 no Estado, de um médico que atendia casos da doença. Caio Martins Guedes, de 33 anos, residente no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul (Região Metropolitana de Curitiba).

– Bares e academias são apontados como supercontaminadores de coronavírus

A ocupação dos 223 leitos de UTI do SUS, exclusivos para casos da covid-19 na cidade, beira 80%. Na semana passada, esse porcentual chegou a 85%. Dados da Sesa do dia 22 de junho mostram que hospitais como Evangélico e Hospital do Trabalhador (ambos em Curitiba) estavam com 100% das UTIs de covid ocupadas.

Curitiba reabriu, inclusive, com show de pagode em bar

Curitiba está atualmente no patamar laranja (risco médio), conforme o Protocolo de Responsabilidade Sanitária e Social, sistema de monitoramento adotado na cidade para rastrear a doença, e que estabelece quais medidas devem ser tomadas em cada nível. Diante desse cenário, a prefeitura da cidade voltou a fazer restrições, mas não totalmente, o que, invariavelmente, propicia a circulação de pessoas. Impôs horários reduzidos ao comércio de rua, aos restaurantes e shoppings (que não operam aos finais de semana), mas os manteve abertos, apostando na colaboração da população.

– Coronavírus: enfermeira desabafa após onda de hospitais invadidos no Brasil

A estratégia não funcionou: a cidade voltou à normalidade no início do mês. Comércios (como supermercados) que antes mantinham medidas rígidas de higiene e de controle de pessoas passaram a não limitar o número de clientes, e restaurantes ficaram cheios.  Vídeos de bares na capital paranaense têm viralizado nas redes sociais por mostrarem aglomeração de clientes, muitos sem máscaras.

Publicidade

Foto: foto 1: Fotos Públicas/foto 2: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Oscar Magrini diz que Globo tinha ‘sala do pó’ e do ‘c*’ ao falar de ‘teste do sofá’