Debate

J.K. Rowling é criticada pela comunidade trans após comentário sobre mundo pós-coronavírus

por: Yuri Ferreira

A escritora J. K. Rowling, autora da saga de livros infanto-juvenis ‘Harry Potter’, foi criticada após fazer alguns comentários sobre a questão de gênero nas redes sociais. J. K. criticou um artigo por utilizar o termo ‘pessoas que menstruam’ ao invés de ‘mulheres’. Segundo a criadora do universo de HP, sexo biológico e gênero são indissociáveis.

– Artista trans combate o tabu da menstruação com foto e poema poderosos

J. K. Rowling se opôs ao termo ‘pessoas que menstruam’, excluindo homens trans de um debate importante sobre saúde pública

A comunidade trans mostrou insatisfação com as falas da escritora nas redes sociais, sobretudo esse trecho aqui:

“‘Pessoas que menstruam’. Tenho certeza que costumava haver uma palavra para essas pessoas. Alguém me ajude? Wumben? Wimpund? Woomud? (modificações da palavra “Woman”, mulher em inglês)”, comentando o artigo ‘Criando um mundo mais igualitário no pós-coronavírus para pessoas que menstruam’, do site Devex.com.

A reação nas redes sociais foi clara: homens trans também menstruam e são homens. Mulheres trans não menstruam e são mulheres. J. K. foi bastante incisiva e não voltou atrás nas críticas, reiterando que o sexo biológico é tão importante quanto a identidade de gênero.

“Consegue escrever um mundo mágico inteiro, mas não consegue entender que homens transsexuais existem? Eu não menstruo desde 2017 – minha feminilidade foi pausada até que eu consiga convocar uma [menstruação]?”, afirmou a colunista de relacionamentos Beth McColl, em seu Twitter.

– Modelo quer dar visibilidade para homens trans que menstruam

O debate entre feministas radicais – termo que se refere à teoria feminista radical, não a algum tipo de radicalismo prático – e a comunidade trans é longo nas redes sociais e na academia.

“Enquanto supremacistas brancos e seus parceiros sexistas, classistas e fascistas estão sendo desafiados nas ruas, parece notável reacender argumentos mornos e essencialistas contra pessoas trans”, afirmou Cara English, da Gendered Intelligence, organização pró-trans da Inglaterra, à Reuters.

No Twitter, muitos fãs da saga Harry Potter ficaram envergonhados pelos comentários da autora:

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Bolsonaro nega anúncio de vacina do Ministério da Saúde: ‘Não compraremos vacina da China’