Debate

Marielle Franco: polícia prende bombeiro acusado de ocultar armas um dia após assassinato

Karol Gomes - 10/06/2020

Mais um desdobramento no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. Maxwell Simões Corrêa, de 44 anos, sargento do Corpo de Bombeiros, foi preso na manhã desta quarta-feira (10), no Rio de Janeiro, suspeito de ajudar a sumir com as armas usadas no crime. 

O Ministério Público do RJ afirma que Suel “atrapalhou de maneira deliberada” as investigações sobre o atentado contra Marielle.

– ‘Profunda dor’: Como o silêncio da Justiça sobre morte de Marielle é sentido na comunidade negra

Ele foi levado em casa, uma mansão de três andares num condomínio de luxo no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Na porta da residência, avaliada em R$ 1,9 milhão, foi apreendida uma BMW X6 de pelo menos R$ 170 mil.

– Nem o medo da morte pode nos impedir de honrar a batalha de Marielle Franco

Ainda segundo a força-tarefa, Suel é braço direito de Ronnie Lessa, apontado como o autor dos disparos no atentado. “São pessoas extremamente ligadas, tanto na vida do crime quanto na vida social”, afirmou o delegado Daniel Rosa em fala à imprensa. 

Além do mandado de prisão, a operação cumpre mandados de busca e apreensão em dez endereços na cidade do Rio ligados a Maxwell e a outros quatro investigados. A ação foi desencadeada por policiais da Delegacia de Homicídios e por promotores do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Participaram a Corregedoria da PM e o Serviço Reservado dos Bombeiros.

– Autora de série sobre Marielle na Globo se desculpa após acusação de racismo: ‘Frase estúpida’

A decisão foi proferida pelo Juízo da 19ª Vara Criminal da Comarca da Capital e a Operação Submersus foi deflagrada em outubro de 2019 para tentar esclarecer o descarte da arma usada no atentado. A suspeita é que o material foi jogado no mar da Barra da Tijuca. 

Quatro pessoas foram presas na ocasião: Elaine Lessa, mulher de Ronnie, que também é dona do apartamento onde as armas estavam; Márcio Montavano, o Márcio Gordo, teria tirado as caixas de armas de dentro do apartamento de Ronnie e Elaine Lessa; Bruno Figueiredo, irmão de Elaine, suspeito de ajudar Márcio na execução do plano; Josinaldo Freitas, o Djaca, teria jogado as armas no mar.

– Namorando, Mônica, viúva de Marielle, critica interesse em vida pessoal e não no crime que matou vereadora

De acordo com investigações, esses quatro aliados de Ronnie Lessa realizaram uma complexa operação para retirar armas do policial reformado de um imóvel no Pechincha, na Zona Oeste do Rio. Coube a Suel, segundo a força-tarefa, emprestar seu Dodge Journey para transportar as armas rumo ao descarte.

Publicidade

Foto 1: Reprodução / Corpo de Bombeiros RJ
Foto 2: Reprodução / Instagram


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.