Arte

‘Museu do Isolamento’ reúne obras de arte visuais que nasceram durante a pandemia

por: Redação Hypeness

Criado em abril a partir de um acervo colaborativo, o Museu do Isolamento Brasileiro surgiu da iniciativa da jovem Luiza Adas, de 23 anos, como forma de divulgar artes produzidas em todo o país durante a pandemia de coronavírus. O projeto é hospedado no Instagram e já abriga mais de 780 publicações que variam principalmente entre pinturas, fotografias, desenhos e poesias.

– Museu ‘drive-in’ permite contemplar obras de Van Gogh sem sair do carro

Entre desabafos, relatos subjetivos do cotidiano de isolamento social, saudade de pessoas amadas e manifestos políticos por meio da arte, o perfil alcançou cerca de 1000 seguidores em apenas dois dias de existência e já coleciona mais de 51 mil com pouco menos de dois meses desde a fundação.

– Vogue substitui modelos por desenhos feitos por crianças no isolamento social

Retrato belíssimo do momento de turbulência, inquietações sociopolíticas, solidão, incertezas e, ao mesmo tempo, estudo, descobertas, autoconhecimento e (bastante) culinária e cuidado com plantas, as postagens do museu digital exploram as mais variadas temáticas. Comum a todas, está a arte como cura, distração e forma de liberar estresse e aliviar sintomas de ansiedade agravados durante o período.

A fundadora do Museu do Isolamento

Formada em Relações Públicas e apaixonada por arte desde a infância, Luiza, a fundadora da iniciativa, já administrava o perfil do Instagram “@florindolinhas”, em que dá dicas de programação cultural acessível na cidade de São Paulo e compartilha dicas e sugestões para consumo e apreciação de arte.

Para colaborar com a divulgação de artistas do Brasil inteiro, a também artista fundou o Museu do Isolamento com o objetivo de fomentar a produção de material criativo durante a pandemia e ajudar a dar visibilidade a produtores de arte de todas as regiões do país.

View this post on Instagram

Com o tanto de arte que andei vendo no Museu do Isolamento, comecei a pensar que apesar de estar consumindo muita arte, pouco estou fazendo pra que EU consiga me focar pra produzir. Comecei a pensar então, em algumas coisas que eu poderia fazer para conseguir me desligar de tudo, e me focar pra produzir artisticamente. Aqui vão elas: 1. Reserve um momento pra você, que de fato, você não vá precisar atender e nem dar atenção a ninguém. Esse momento tem que ser seu e de mais ninguém. 2. Deixe o celular em outro cômodo de sua casa, pra que ele não te atrapalhe e vc não se distraia. 3. Escolha e separe antecipadamente os materiais que vai usar (como tintas, tipos de folhas, revistas e etc.). Para mim, essa é uma das partes mais gostosas e que mais me motivam a começar. 4. Comece a fazer sua arte e mesmo se não tiver gostando, continue. Errar faz parte e pode te ajudar a te soltar. 5. Depois de fazer sua arte, tente escrever sobre aquilo que produziu ou sobre as coisas que passaram na sua cabeça enquanto você produzia. (tudo bem ser algo que não tenha a ver com a arte. Pra mim, na maior parte das vezes, pintar me ajuda a refletir sobre minha vida, é como uma terapia).

A post shared by Luiza Adas | FlorindoLinhas (@florindolinhas) on

Como enviar trabalhos ao Museu?

Na bio do Instagram do Museu (@museudoisolamento), está o link para o formulário em que interessados em ter materiais publicados no perfil podem enviar artes junto ao nome e ao “@”. Você também pode acessá-lo por meio deste link.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Museu do Isolamento Brasileiro/foto destaque 2: Giovanna Antequera/Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Artista pinta mulheres negras com cabelo de verdade e forma quadros super criativos