Debate

Pedro Bial entrevista morador em situação de rua que fala sobre pandemia e critica medo das pessoas

Yuri Ferreira - 18/06/2020

O ‘Conversa com Bial’, programa de entrevistas do jornalista Pedro Bial, entrevistou Adriano Casado, uma pessoa em situação de rua, que comentou sobre as dificuldades e reflexões que a pandemia tem levado a uma das parcelas mais vulnerabilizadas da sociedade.O bate-papo aconteceu na última quarta-feira (17) e teve ainda a presença do Padre Julio Lancelotti, conhecido por suas ações sociais que buscam ajudar essa populaçã.,O pároco alertou para que a ‘solidariedade individual’ das doações perdure até depois da doença e que políticas públicas protejam os mais frágeis com o fim da ação do novo coronavírus.

– João Gordo abre vaquinha para entregar marmitas veganas aos moradores de rua durante pandemia

Padre Julio Lancelotti conversou com Pedro Bial sobre a situação da população de rua durante a pandemia e os desafios que a sociedade deve enfrentar após o coronavírus

Adriano, que estava abrigado em um CTA (Centro de Atendimento Temporário), reiterou que as pessoas agora estão experienciando um tipo de exclusão social similar a que a população de rua sempre passou. Ele ainda afirmou que não há sentido em ‘sentir medo‘ dos moradores em situação de rua. Pelo contrário, quem sente medo são eles.

– Padre Julio Lancellotti beija pés de transexuais em cerimônia de Páscoa

“Agora, nós estamos iguais a uma pessoa normal que não pode entrar no mercado ou no restaurante. Antes, quem não podia entrar em um restaurante era só o morador de rua. Hoje em dia tanto faz se é um empresário ou um de nós, nenhum pode entrar em um shopping center. Praticamente, as pessoas estão sentindo o que nós sentimos há muitos anos”, afirmou Casado.

Dá uma olhada em um trechinho da entrevista no Twitter:

O Padre Júlio Lancelotti, que faz diversas ações em prol das populações mais vulnerabilizadas da cidade, deu sua importante opinião.

– EUA: negros pagam com vida o preço da pandemia no país onde saúde depende da raça e do bolso

“De repente, os moradores de rua descobriram um inimigo invisível que está atingindo a todos. Antes, eles conheciam os inimigos visíveis; a PM (Polícia Militar), a GCM (Guarda Civil Metropolitana) e os seguranças particulares. Agora, esse inimigo invisível fez com que as pessoas não pudessem mais entrar nos mesmos lugares que eles não podiam entrar. Então, para eles, isso é muito estranho”, reiterou.

Para ele, outro problema é a solidariedade passageira. “Não basta só a solidariedade individual, pessoal, ela tem que se tornar estrutural, perpassar a questão política e a questão orçamentária, aquilo que é chamado de política pública”.  Para assistir a entrevista completa, é só entrar na Globoplay.

Publicidade

Foto: Reprodução/Twitter


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Líder Indiano de seita deixa 94 filhos e 39 esposas em uma das maiores famílias do mundo