Diversidade

Principal universidade de pesquisa dos EUA elege 1ª mulher negra presidente de corpo estudantil

por: Vitor Paiva

A desigualdade de gênero e o racismo podem ser notados em toda a parte, e mesmo dentro de uma das mais importantes universidades do mundo, de onde deve sair conhecimento, ciência sabedoria. Ao longo dos 159 anos de história do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos EUA, e mesmo tendo 6% dos alunos negros e 47% mulheres, nunca uma mulher negra havia sido eleita presidente do corpo estudantil. Essa história enfim começa a ser transformada, a partir da eleição de Danielle Geathers como presidente da Associação de Graduação dessa que é uma das mais importantes universidades do mundo.

Cursando o segundo ano de MIT para se formar em engenharia mecânica, antes de se tornar presidente ao lado de sua companheira de chapa Jing Chen, Danielle já havia trabalhado como Diretora de Diversidade da Associação. Assim, a jovem deixou claro ao longo de sua campanha que pretende utilizar sua plataforma para tornar a universidade o mais inclusiva possível.

Post no Instagram de Danielle e sua companheira de chapa Jing Chen

“Ainda que algumas pessoas considerem somente um cargo simbólico, ele importa no que diz respeito à representação”, ela diz. “Ver a si mesmo representado em uma universidade é uma parte importante do processo de admissão”.

“Vote diferente”, diz o material de campanha

Por conta da pandemia do novo coronavírus, desde março que as aulas foram suspensas no Instituto e os alunos enviados para casa – com o campus vazio, a campanha de Geathers e Chen foi feita toda online, e a votação também aconteceu pela internet. Segundo a nova presidente, boa parte do seu trabalho se dá em reunião com administradores, mas ela espera tornar o cargo mais visível. “Uma das coisas que essa eleição me ensinou foi o poder das mídias sociais para alavancar novos recursos e fazer uma mensagem circular”. Seu trabalho terá início assim que as aulas retornarem, mas sua eleição já é uma excelente notícia.

Publicidade

© fotos: divulgação/Instagram


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Amor, igualdade e luta: 6 filmes inspiradores para a causa LGBTQ+