Entrevista Hypeness

Sheron Menezzes e Letícia Colin entrevistam uma à outra sobre maternidade, carreira e isolamento social

por: Rafael Oliver

Elas têm muito em comum: são atrizes talentosíssimas, empoderadas, mães, queridas pelo público e inspiração para muita gente: Sheron Menezzes e Letícia Colin, que já apareceram por aqui outras vezes em matérias que ‘valem a pena ver de novo’, são amigas e atualmente estão no ar no horário nobre da Globo, na reprise da novela “Novo Mundo”. 

O Hypeness convidou as duas para um bate-papo aberto entre elas. Livres para perguntar, uma à outra, tudo o que queriam, abordaram assuntos como quarentena, carreira, sonhos e, claro, maternidade, já que as duas são mães. O resultado foi uma conversa super alto-astral e cheia de descobertas. Você confere tudo à seguir. 

Letícia pergunta para Sheron:

L.C: Quais são as pequenas coisas que fazem o seu dia melhor?

S.M: Isso é muito lamber a cria, né? Mas meu dia fica bom quando recebo um sorriso do meu filho. Me arrumo só para ficar em casa e ele fala: “Mamãe, como você está bonita!”. Ouvir do meu filho que sou linda de qualquer jeito, eu ganho meu dia. É a coisa mais incrível. Então, sim, meu dia fica bom quando eu estou com meu filho, quando ele sorri para mim, quando eu tenho um carinho dele.

L.C: Se você pudesse ligar para você mesma, em qualquer momento do passado ou futuro, para quando você ligaria e o que diria?

S.M: Eu ligaria pra Sheron do início da carreira. Ansiosa com os testes e às vezes um pouco decepcionada com ela mesma. Eu diria: “calma, continua, você está indo pelo caminho certo, faz só o que você acredita que vai dar certo!”. 

L.C: Quais foram as maiores dificuldades na maternidade ?

S.M: Eu tive um período muito difícil, que foi com amamentação, muito dolorido, ninguém te conta que amamentação pode ser extremamente dolorida… Eu tive um período que não aceitei muita ajuda, me arrependo disso, sempre fiquei muito cansada. Mas, depois da amamentação melhora, começa a  introdução alimentar (que também foi difícil pra mim), depois vai ficando gostoso quando ele vai te reconhecendo. Ele vai caminhando, começa andar… Aí esquece: não há coluna que aguente! (rs). E agora, a fase que estamos: ele te desafia, argumenta sobre o que você fala, ele tem vontades, é um perigo (rs)… Enfim, dores e delícias da maternidade. Eu sou muito feliz, mas sou muito cansada. Fora que essa criança não dorme, viu?

Sheron Menezzes como Diara, personagem de “Novo Mundo”, que se redescobre como uma rainha africana.

L.C: Quantos anos você teria se não soubesse quantos anos tem?

S.M: Eu sou “xovem” (rs)…  Me considero super jovem, então seria mais nova do que sou. De verdade eu tenho 36, né? Mas acho que gostei dos meus 29, 30… Eu estava no meu auge… Só que aí… Fui mãe! (rs)  

Em “Novo Mundo”, Sheron descobriu que estava grávida no início das gravações, mas permaneceu na novela até o fim.

Sheron pergunta para Letícia:

S.M: O que você está fazendo para manter a sanidade na quarentena?

L.C: Estou fazendo de tudo, mas tem dia que não dá pra fazer nada (por conta do bebê). Também tem uma grande lista de coisas que não fiz e nem vou fazer: livros que eu não vou ler nessa quarentena, lives que não vou conseguir assistir, exercícios que não vou fazer. Agora, estou retomando com muita força minha prática budista. Então isso me ajuda muito a ter uma rotina, uma inspiração. Aulas de alongamento, com minha bola de pilates (a mesma que uso para fazer o bebê ninar). Tirar uns cinco minutos, mas já é um micro-tempo para eu me acalmar, baixar a bola, acho que isso é muito bom. E um bom café preto de manhã, que amo para o dia começar bem!

Letícia Colin na pele da Imperatriz Leopoldina, personagem de “Novo Mundo”.

S.M: Está preparada para o “Terrible 2” (a adolescência do bebê)?

L.C: Não! Não estou preparada. Eu não sei nem te dizer. Eu tenho alguns amigos, como você, que têm filhos passando por essa fase. Eu olhando de fora eu falo “ olha, achava que o que eu tinha de vivido até agora era difícil, mas pensando bem não é não”. Eu ouvi falar disso por um amigo meu, desabafando, que a filha dele estava próximo do insuportável, porque é uma coisa em voluntariosa, gritaria, uma esperneado, uma primeira adolescência. Não tenho a menor ideia do que vou fazer. Se bem que é um bom sinal. Ele passou pela crise dos três meses, bem forte, eu senti aqui. É um sinal bom, que eles estão saudáveis, passando por todas as frases, então crise é bom, dizem, não sei.

S.M: Quem mais te inspirou para ser essa atriz incrível que você é? 

L.C: Acho que é uma mistura: a Cássia Kis me comove, me instiga, me provoca. É uma atriz que, a primeira vez que vi ao vivo, caminhando no Projac, eu fiquei tensa… Falei: “ah, meu Deus”, como vou falar com ela? Ela é uma dessas atrizes que toca no fundo. E também, objetivamente, minha família. Minha mãe que pode me acompanhar nos testes, me levando para fazer cursos de teatro, mudando comigo para o Rio de Janeiro, para eu fazer o meu primeiro grande papel em “Malhação”.

Em “Novo Mundo”, Leopoldina é uma personagem complexa e tem um pensamento avançado para o tempo.

S.M: Você já viajou muito! Mas tem um lugar especial que você sempre quis ir e ainda não conheceu? Se imagina indo nessa ‘trip’ com seu baby? Porque te digo… viajar com bebê é  incrível, mas pode ser perrenguinho… E eu amo o perrenguinho)

L.C: Tem um sonho de ir para o Japão. Primeira viagem do Uri. Não sei se depois de lá eu iria falar: “que ideia de jerico”. Mas Barcelona também… Brasil também, né? Seria legal meu filho poder conhecer a Serra do Rio, Búzios, Cabo Frio, Angra, Nordeste… Quero poder dar uns rolês com ele. Ele vai viajar para caramba!

S.M: E agora que estamos isolados… Qual sua melhor maneira de aproveitar  esse tempo?

L.C: A parte boa é poder ficar colada no Uri. Acompanhando passo-a-passo desses primeiros seis meses de vida, que são muito intensos, muito radicais. Agora, esse último mês, do quinto para o sexto, que dá uns cliques, parece que dá um salto de desenvolvimento, de aprendizado das coisas… Ele está muito vivo e é muito atento à todos. Comendo, amando sabores, uma descoberta sem fim. Precisa ter energia para aguentar, mas seguimos fortes. É isso, renovando amor, levando com humor… Humor é tudo nessa hora de quarentena pra gente lembrar de ter paciência, lembrar de olhar para o outro com compaixão, empatia… 

Em “Novo Mundo”, Letícia interpreta a imperatriz Leopoldina, casada com Dom Pedro I (Caio Castro) e Sheron, a ex-escravizada e agora Baronesa de Paciência, esposa de Wolfgang (Jonas Bloch). Escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson, novela voltou a ser exibida na faixa das 18h. 

Publicidade


Rafael Oliver
Publicitário de formação, com passagens por grandes agências, também atua por vocação na área da comédia. É redator, roteirista e humorista . Encontrou em San Diego, na Califórnia, seu segundo lar. Está sempre por lá. Vive uma busca incessante por novas experiências. E está longe de parar.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Transição capilar: 7 pessoas que estão no processo ou já passaram por ele para você se inspirar