Debate

Silvio Almeida no ‘Roda Viva’: ‘Tem gente chorando por estátua, mas não é capaz de chorar quando morre um negro’

Karol Gomes - 23/06/2020

Convidado do programa Roda Viva desta segunda-feira (22), o professor, jurista e filósofo Silvio Almeida defendeu a retirada de estátuas de pessoas racistas ou ligadas à escravidão. O tópico tem sido levantado em razão dos protestos antirracistas que têm tomado os Estados Unidos e o mundo, depois do assassinato de George Floyd, um homem negro, por um policial branco em Minnesota. Muitas estátuas de figuras escravocratas e racistas foram derrubadas pelas mãos de protestantes e a pergunta principal seria: vandalismo ou reparação histórica?

Estátua de escravocrata é removida em Bristol, na Inglaterra

– Felipe Neto diz no ‘Roda Viva’ que errou com impeachment e que Brasil não precisa de ‘salvador da pátria’

No programa da TV Cultura, Silvio afirmou que numa luta antirracista o espaço público tem que ser reconfigurado. “Eu acho curioso: tem gente chorando por estátua, mas não é capaz de chorar quando morre um negro. Eu acho impressionante isso”, disse Almeida. “Eu tenho medo é de quem tenta paralisar a história. Revisionismo é justamente tentar impedir o fluxo da história”.

Cidade é espaço político 

Autor de obras sobre filosofia, racismo e consciência de classe — entre elas, ‘Racismo Estrutural‘ –, Almeida destacou que a cidade é um espaço político e ela é desenhada de tal forma que as pessoas entendam o seu lugar. “Se você tem um monumento dentro da cidade, é uma indicação de quem você quer que esteja ali, de quem você faz reverência, e como se dará o processo de manutenção da memória, que precisa ser preservado”, explicou.

– Glória Maria fala de tumor em depoimento tocante sobre fragilidade no ‘Conversa com Bial’: ‘Eu escapei’

Ele deu o exemplo dos estados do sul dos Estados Unidos, onde ele mora atualmente e que possuem diversas estátuas de figuras do exército dos Confederados. Embora tenha perdido a Guerra Civil, o sul construiu diversas homenagens, muitas depois do conflito. Segundo o professor, foram erguidas para deixar marcado para as gerações futuras, mesmo depois da derrota, a defesa da escravidão e da supremacia branca.

Silvio Almeida criticou compaixão por estátuas

– Vereador viraliza com texto sobre bissexualidade contra homofobia: ‘Amor precisa de transparência’

“Essas estátuas têm que ser retiradas porque numa luta antirracista o espaço público tem que ser reconfigurado. Construir uma estátua é um ato político. Retirar uma estátua também é um ato político”, defendeu Almeida, em debate que incluiu a estátua de Borba Gato, em São Paulo. No entanto, ele também defendeu “diálogo para ressignificar o local das estátuas”.

A entrevista de Silvio Almeida no programa pode ser assistida na íntegra no Youtube:

Publicidade

Fotos: foto 1: Getty Images/foto 2: Reprodução/TV Cultura


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Homem branco supostamente demitido por racismo é filho da dona da loja onde trabalhava