Debate

Suzana Alves diz que se sentia refém da estética de Tiazinha em desabafo sobre cabelo grisalho

por: Redação Hypeness

Durante a quarentena, Suzana Alves, a ex-Tiazinha que fazia sucesso nos anos 90, mostrou aos seus seguidores uma das coisas que ela mais ama fazer: cozinhar. Ela postou uma foto que traduzia o momento, com uma roupa toda suja de farinha, cabelo preso e sem maquiagem. A intenção era falar sobre os seus dotes culinários, mas chamou atenção por outro motivo. 

Os fios brancos a mostra dividiram a opinião de seus seguidores, e a fizeram refletir. “Percebi o quanto o processo natural de envelhecimento de uma mulher se transforma rapidamente em um assunto de interesse público”, disse, em artigo publicado no site Universa, da UOL. 

– Respeite meus cabelos brancos: 30 mulheres que abandonaram a tinta e vão te inspirar a fazer o mesmo

No texto, a ex-tiazinha, agora atriz e empresária, conta que nem havia se importado de mostrar o cabelo branco nas fotos, mas foi só uma questão de tempo até o fato de que ela está envelhecendo virar notícia em diferentes portais. 

– Voltamos aos anos 90? CD de Sandy e Junior é vendido por quase R$ 1 mil

Suzana disse que entende que assumir os cabelos brancos seja o início de um processo transformador na vida. Mas que, para ela, foi algo que aconteceu naturalmente, como parte de um ciclo finalizado. 

“Sou uma pessoa ‘natureba’ e fã de óleos essenciais: uso desodorante, protetor solar e maquiagens naturais. Minha alimentação é orgânica, não como carne vermelha e nem frango. Estou fazendo uma graduação à distância em naturopatia. A tinta era a última química que faltava para me libertar”, disse. 

– Por que estamos discutindo os fios grisalhos de Gwyneth Paltrow?

Nada disso, no entanto, quer dizer que foi fácil para ela. Suzana escreveu ainda sobre o período de adaptação que precisou fazer, a começar com a redução de idas ao salão, algo impulsionado pela quarentena. 

“Recorri ao spray com cor quando a quarentena chegou. Sempre que precisava aparecer nas redes sociais, passava o spray na raiz. Depois de um período insatisfeita, pesquisei alternativas e cheguei à henna. Comprei e tentei passar em casa, mas durou pouquíssimo tempo, além de a versão escolhida por mim não ser uma opção 100% natural. Desisti e me acostumei com a presença dos brancos pouco a pouco — até que finalmente comecei a achá-los bonitos”.

– Iris Apfel se torna pessoa mais velha do mundo a ganhar uma Barbie em sua homenagem

Para Suzana, o ambiente de exposição é comum: cresceu se apresentando como bailarina em palcos, fazia teatro infantil e propagandas de televisão até passar a interpretar a Tiazinha, aos 18 anos. Ela conta que acabou se acostumando com expor sua imagem, mas isso não a impediu de tornar-se escrava disso. 

– Conheça a maravilhosa Alice Pang que aos 96 é a modelo mais velha da Ásia

“Como Tiazinha, passei a me encaixar em um biotipo, mais parecido com o meu: o da mulher brasileira. Fiz sucesso com aquela estética. Mesmo assim, me sentia escrava dela e por isso não era feliz”, relembrou em seu texto. 

Suzana lembrou ainda da sua fase de amadurecimento, que veio com a “aposentadoria” do papel de Tiazinha, a entrada na escola de teatro e o diagnóstico do pai, de câncer no estômago. Foi nesse ponto, aos 24 anos, que a alimentação saudável passou a ser um ponto essencial no sua vida.  

– Este casal japonês só sai de casa se estiver vestido ‘combinandinho’ todos os dias

“O médico deu seis meses de vida para ele. Então eu, que já tinha hábitos saudáveis, decidi trazê-lo para dentro de casa. Até na minha cama ele dormia. Mudei toda a nossa rotina. Passei a estudar mais sobre a importância de ter uma alimentação boa, tirei o açúcar branco da nossa dieta e fiz um processo de desintoxicação mais radical. Como resultado, ele viveu por mais dois anos”.

Após a morte do pai, Suzana mergulhou ainda mais no objetivo de ter uma vida simples e saudável. “Trabalhei o lado espiritual, comecei a viver uma vida com propósito. Cultivei a minha própria horta. Dali em diante, tudo ganhou outro significado e fui aprimorando meus hábitos. Sou atriz, tenho uma empresa pequena de alimentos saudáveis, cozinho e acredito na cura através da comida”.

Não é à toa que a decepção ao ver as pessoas falando de sua idade ao invés de seu trabalho surgiu ao postar “aquela foto”, mas Suzana já declarou: não se importa se as pessoas vão continuar achando que ela ainda tem ou não “carinha de menina”. “Me sinto jovem por fora e por dentro. A gente só envelhece mal quando não se conhece e quer manter o mito do intocável”, concluiu.

Publicidade

Fotos: Reprodução / Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Agência sugere sexo na pandemia com máscara e em posições que evitem o face a face