Arte

Uma coleção de arte africana de US $ 10 milhões escondida em um apartamento no Brooklyn

por: Redação Hypeness

Por mais de 40 anos, Eric Edwards colecionou estátuas, peças de arte e artefatos africanos em seu apartamento em Bedford-Stuyvesant, em Nova York, Estados Unidos. A coleção é avaliada hoje em US$ 10 milhões (cerca de R$ 50 milhões).

A inspiração de Eric veio de seu pai. Natural de Barbados, ele se mudou para os Estados Unidos aos 18 anos e se impressionou com o racismo que encontrou no Brooklyn. Sabendo que seus filhos enfrentariam muitas dificuldades devido ao preconceito, ele fez questão de que eles conhecessem a história e a cultura do povo negro desde muito jovens.

– Muito além dos estereótipos: obras de arte que retratam negros ao longo dos séculos

Esse contato fez com que Eric iniciasse sua coleção há mais de quatro décadas, com aquisições feitas em viagens pelo mundo e em leilões. A maioria dos itens foi comprada ainda com um preço bastante baixo, ganhando valor com o tempo.

Uma de suas peças mais caras, proveniente da Nigéria, tem um valor estimado de US$ 1 milhão e é a única do seu estilo no mundo inteiro. Entretanto, a coleção não se resume apenas a trabalhos artísticos e inclui até mesmo a pele de um leão, morto na África do Sul.

– Artista substitui homens e mulheres brancos por mulheres negras em obras de arte clássicas

Atualmente, as peças podem ser encontradas no Cultural Museum of African Art The Eric Edwards Collection. Criado em 2014, o espaço fica localizado no Brooklyn, em Nova York, e reúne uma das maiores coleções de artefatos africanos dos Estados Unidos.

Veja mais sobre a história de Eric no vídeo abaixo. A produção está em inglês, mas é possível acionar legendas automáticas clicando em Detalhes ⚙️> Legendas/CC > Traduzir automaticamente > Português.

Publicidade

Foto em destaque: Barcroft TV/Reprodução Youtube


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
‘Festival Afrikanse’ conecta Brasil com Angola, Cabo Verde e Togo