Arte

Violão de Kurt Cobain é leiloado como o mais caro da história por motivo político

por: Vitor Paiva

A expectativa da casa de leilões Julien’s Auctions, na Califórnia, era alta para a venda do violão que Kurt Cobain utilizou na gravação e filmagem do icônico Acústico MTV do Nirvana: o lance inicial partia de 1 milhão de dólares. O lance que arrematou o instrumento no último sábado, dia 20 de junho, foi, no entanto, histórico: ao ser adquirido por 6 milhões de dólares (mais de 31 milhões de reais) o violão se tornou a mais cara guitarra já vendida em todos os tempos. Por trás da fortuna oferecida pelo empresário australiano Peter Freedman, fundador da marca de microfones Røde, há mais do que somente a admiração por Cobain e a música do Nirvana: sua motivação é denunciar a falta de apoio oferecido pelo governo australiano e de todo o mundo para a comunidade artística na atual pandemia do coronavírus.

Kurt usando o violão durante o acústico do Nirvana, em 1993 © Getty Images

O plano de Freedman é viajar com o instrumento em exposição para mostra-lo aos fãs do Nirvana mas também iluminar a luta e a consciência dos artistas diante dos males do mundo – em especial do próprio Covid-19 que, segundo o empresário, expôs o abandono da classe artística em tal momento. “Para a maioria, o acesso a serviços financeiros e de saúde – particularmente serviços de saúde mental – é muito limitado”, disse Freedman. “Enquanto muitas indústrias estão gradualmente voltando ao normal, levará muito tempo para que o mercado da música volte a funcionar como antes. O preço que isso custou e que continuará custando é enorme. O momento requer ação, e eu sou um homem de ação”, afirmou.

Acima, o instrumento em exposição na casa de leilões; abaixo, detalhe do violão © divulgação

O recorde de preço no leilão de uma guitarra pertencia anteriormente à Fender Stratocaster preta de David Gilmour, guitarrista do Pink Floyd, leiloada por 3,95 milhões de dólares. A ideia é começar a exposição do violão de Cobain pela Austrália, em Sidney, Melbourne e Perth a partir do meio de Agosto, a fim de arrecadar fundos para pressionar o governo australiano a criar algum programa de auxilio financeiro a músicos e artistas. “Escrever uma carta simplesmente não iria fazer diferença, mas eu posso fazer isso funcionar”, disse o empresário. “Com esse tipo de ação eu consigo a atenção de todo o miundo, provavelmente de algumas centenas de milhões de pessoas”, disse.

O empresário Peter Freedman com seu novo instrumento © Alternative Nation/divulgação

 O modelo do violão que Kurt Cobain utilizou em novembro de 1993 para o show acústico do Nirvana – que viria a se tornar o disco Nirvana MTV Unplugged in New York – é um Martin D – 18E de 1959, que por si só já faria dele um instrumento especialmente caro. O leilão incluía, além do violão (acordoado de cabeça para baixo, em adaptação para canhotos), também o case original, adornado por Cobain, contendo também um jogo de cordas Martin usado, três palhetas e outros objetos que já estavam dentro do case.

© Getty Images

Para além da utilização política da compra, Freedman também deixou clara sua admiração por Cobain. “O acústico do Nirvana é um dos meus discos preferidos em todos os tempos, e facilmente uma das melhores performances ao vivo já registradas em vídeo”, disse. “Eles foram uma grande influência para mim, o início dos anos 90 foram anos formadores para a Rode, e a música do Nirvana foi a trilha sonora dessa época da minha vida e de minha empresa”.

© Getty Images

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
A gente fantasia demais uma conversa (ou porque apps de relacionamentos não funcionam) | Do Amor #136